quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

True Outspeak - Olavo de Carvalho - 22 de fevereiro de 2012

Marinha da Guerra dos EUA coloca em serviço canhões eletromagnéticos

As Forças Navais dos EUA procederam aos testes industriais do primeiro canhão eletromagnético, visto na etapa presente como uma arma sofisticada, adequada aos desafios da segunda metade do século XXI. O seu funcionamento tem como base a ação do campo magnético através do qual será possível lançar projeteis de 9 kg com a velocidade cinco vezes superior à do som. O alvo fica atingido devido ao elevado nível da energia cinética que se produz durante a colisão.

O alcance de vôo é capaz de chegar a 200 milhas marítimas (1852 metros), o que possibilitará aos navios de guerra escaparem-se à zona de risco, isto é, manter-se à distância segura das forças do adversário.

Voz da Rússia

2000 golfinhos "fogem" da costa da Califórnia


Os animais apresentam um comportamento previsível em relação a eventos da natureza e também respondem ao clima, os povos antigos e tribos indígenas sabiam o que esperar observando o comportamento dos animais.

Na quinta (23 de fevereiro), uma "debandada" de golfinhos foi gravada por espectadores de uma barco que ficaram atordoados com a quantidade de golfinhos que pareciam fugir da costa californiana. O número estimado de 2000 golfinhos, muito maior do que a média do grupo com geralmente cerca de 12. O que pode ter causado isso?

Vamos aguardar.

Província da Argentina proíbe dois navios britânicos a atracar em Ushuaia - Reino Unido quer explicações.

Placa na entrada do porto de Ushuaia; província proíbe entrada de navios britânicos
no sul da Argentina


O governo de uma província argentina proibiu nesta segunda-feira a passagem de dois navios de cruzeiro com bandeiras de territórios britânicos pelo porto de Ushuaia, no extremo sul do país, segundo autoridades locais.

A decisão foi tomada pela governadora da província da Terra do Fogo, Fabiana Ríos, que pertence ao Frente para a Vitória, mesmo partido de Cristina Kirchner. No domingo (26), o território aprovou uma lei que proíbe a entrada de embarcações de bandeiras de países do Reino Unido e de territórios britânicos no porto da cidade.

O Star Princess e o Adonia, pertencentes à empresa de cruzeiros Carnival, possuíam bandeiras das ilhas Bermudas, colônia britânica na América do Norte. Ambos navios saíram das ilhas Malvinas no domingo em direção a Ushuaia, onde fariam uma parada em uma viagem do Rio de Janeiro até Valparaíso, no Chile.

A norma aprovada determina que apenas barcos militares e mercantes teriam a proibição de entrada, mas autoridades locais consideraram que as duas embarcações de passageiros, em atividade turística, se enquadravam na lei.

REAÇÃO

Após o embargo, o Reino Unido demonstrou preocupação pela proibição de entrada dos dois navios. "Não há desculpa para intervir em uma atividade comercial legítima e livre", afirmou um porta-voz da chancelaria britânica ao jornal argentino "Clarín".
Já o responsável pelo Departamento de Portos da Terra do Fogo, Alejandro Berola, afirmou à agência de notícias estatal argentina Télam que as tripulações das embarcações foram comunicados do embargo enquanto trafegavam pelo canal de Beagle, próxima à cidade de Puerto Williams, no Chile.
O setor turístico local reclama o bloqueio aos navios britânicos. O presidente da Câmara de Turismo de Ushuaia, Marcelo Lieti, afirmou ao "Clarín" que o problema "não tem nada a ver com as Malvinas". "Se queremos prejudicar os ingleses, o dano foi feito a todos que deveriam trabalhar com esse barco hoje".

Nota: Como o leitor ja pode ter percebido, está um clima estranho em relação a esses dois países, e isso remonta desde a guerra das Malvinas, onde é que isso vai parar.

Célio Siqueira

Prepare-se 26 ( As estrelas que cairão do céu )

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

BRICS preparam revolução bancária

Os países que integram o grupo BRICS preparam um golpe bancário de âmbito mundial. Pela primeira vez eles pretendem apresentar uma candidatura alternativa para o cargo de chefe do Banco Central. O “quinteto” busca também a redistribuição mais rápida das cotas no Fundo Monetário Internacional e resolveu estudar a iniciativa da Índia de criação do banco Sul-Sul .

Os representantes do Brasil, Rússia, Índia, China e República Sul – Africana apresentaram a proposta de reformar o sistema bancário mundial na base dos resultados do encontro no México, realizado no quadro das reuniões dos ministros da Fazenda e dos chefes dos Bancos Centrais do grupo G20.

Os financistas do grupo BRICS estão indignados com a regra não oficial, de acordo com a qual o Banco Mundial é chefiado sempre por um representante dos EUA. Eles propuseram avaliar o candidato não em conformidade com a sua nacionalidade mas sim com base nos seus méritos. O “quinteto” considera a criação de concorrência ao candidato americano uma questão de princípios. Na sua opinião, o candidato não deve ser obrigatoriamente um representante do grupo BRICS, - pode ser um cidadão de algum outro país europeu. Foi decidido preparar durante as duas próximas semanas uma declaração sobre a posição concatenada a este respeito. Ressalta-se que os candidatos ao cargo de chefe do Banco Central devem ser determinados até o dia 23 de março.

Espera-se que a 29 de março os líderes do grupo BRICS ponham em funcionamento o mecanismo de concatenação das posições a respeito da proposta da Índia de criar o banco Sul-Sul, concebido como instituição de apoio aos países com mercados emergentes. Os países do grupo BRICS irão desempenhar um papel essencial no tocante às cotas de votos. Isto quer dizer que eles deverão assumir importantes compromissos orçamentários. Trata-se de um projeto muito prometedor mas que requer, no entanto, uma cuidadosa análise, – assevera o presidente da Corporação Financeira Russa, Andrei Nechaiev.

"Por enquanto, há mais perguntas que respostas. Quem irá financiar este banco? Quem irá usufruir dos créditos? É possível que o número dos que desejam receber um crédito seja bem maior do que o número dos que desejam financiar o banco. Mesmo assim, esta nova instituição corresponde às exigências do desenvolvimento mundial. Os países – integrantes do grupo BRICS necessitam de investimentos e não somente de dinheiro, mas também de novas tecnologias, de métodos de gestão empresarial e de inovações. Aliás, por enquanto não está bem claro como poderá este banco, - caso seja criado, - ajudar a resolver este problema".

Em qualquer caso, a iniciativa da Índia de criar o banco Sul-Sul é uma tentativa dos países do grupo BRICS de pôr o seu “tijolo” no prédio do novo sistema financeiro mundial. Eles pretendem ocupar lugares neste mundo em conformidade com o seu peso global. A cota do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, – grupo de países em plena emergência, – ultrapassa 21% da produção mundial. O total das suas reservas de divisas supera 4 trilhões de dólares.

Esta última circunstância permite “lançar uma pedra” contra o regime financeiro criado pelo Ocidente. Trata-se da intenção do grupo BRICS de elevar o seu papel no Fundo Monetário Internacional. Os países – membros do BRICS estão prontos a discutir a questão de consolidação do financiamento do fundo, em particular, a fim de ajudar a União Européia a sair da crise. Ao mesmo tempo, pretende-se rever as cotas do fundo. Esta iniciativa requer não somente a redistribuição dos fluxos financeiros mundiais mas também a redistribuição dos votos aquando da tomada das decisões do Fundo Monetário Internacional. Agora quase metade dos votos pertence aos países – membros da União Européia e aos EUA, enquanto que o grupo BRICS dispõe apenas de 10% dos votos. Em 2010 o quinteto conseguiu elevar um pouco a sua cota mas, mesmo assim, as suas posições continuam por enquanto subestimadas. O Ocidente continuará nas suas tentativas de travar a reforma do Fundo Monetário Internacional a fim de impedir que no seu quadro sejam consolidadas as posições dos países com mercados emergentes. Mas, a julgar por tudo, a necessidade de suprir a base de recursos do Fundo Monetário Internacional deve forçar a direção do FMI a reagir de uma forma mais ativa a esta iniciativa do grupo BRICS.

Voz da Rússia

Submarino nuclear brasileiro: Quo Vadis?

Programa Nuclear da Marinha completa 30 anos em 2009 e até agora, consumiu cerca de US$ 1 bilhão em recursos. Nos últimos anos, o Programa sobreviveu em estado vegetativo, devido ao corte de verbas. O início do Programa Nuclear da Marinha deu-se no final de 1978, quando uma decisão ministerial engajou a Força no desenvolvimento da propulsão nuclear para submarinos.

“ … a Marinha encontra-se diante de decisões difíceis. Com o orçamento atual, o programa do submarino nuclear levará talvez ainda trinta anos para a sua concretização, o que não parece aceitável. Com o desenvolvimentos dos modernos sistemas de propulsão independentes do ar para submarinos, já não se pode afirmar que no prazo de trinta ou pouco mais anos a opção pelo submarino nuclear seja a mais acertada porque, ao longo de todos esses anos, ele consumirá um percentual expressivo do orçamento da Marinha, o que prejudicará inúmeros outros projetos e, ao final do prazo para o seu desenvolvimento, talvez não signifique o mesmo que hoje.”
Almirante Armando A. F. Vidigal – A evolução do pensamento estratégico naval brasileiro (2002)

O Programa Nuclear da Marinha completa 30 anos em 2009 e até agora, consumiu cerca de US$ 1 bilhão em recursos. Nos últimos anos, o Programa sobreviveu em estado vegetativo, devido ao corte de verbas.
O início do Programa Nuclear da Marinha deu-se no final de 1978, quando uma decisão ministerial engajou a Força no desenvolvimento da propulsão nuclear para submarinos.

A decisão baseou-se na premissa de que, num eventual conflito, a Marinha do Brasil estaria em grande inferioridade contra um adversário que possuísse submarinos nucleares. Para a Marinha, a premissa foi confirmada na Guerra das Malvinas, em 1982, quando o afundamento do cruzador argentino ARA General Belgrano pelo submarino nuclear britânico HMS Conqueror, fez a Marinha Argentina retirar seus navios do Teatro de Operações.

Além do emprego militar, a propulsão nuclear aplicada a submarinos teria aplicação dual, possibilitando o uso do reator em usinas nucleares em terra, para a produção de energia elétrica. Sendo uma tecnologia de “arrasto”, traria também benefícios para o desenvolvimento de uma enorme gama de outras tecnologias.

O Programa autônomo de desenvolvimento de tecnologia nuclear recebeu o codinome de Programa Chalana, constituído por um conjunto de atividades com o propósito de desenvolver no País uma planta nuclear de propulsão de submarinos e o combustível necessário.

Sempre foi considerado um programa de longo prazo de maturação, que visava equipar a Força Naval de submarinos com propulsão nuclear, com alto grau de componentes nacionalizados. Inicialmente abrangia quatro projetos: Zarcão, Ciclone, Remo e Costado. O Projeto Zarcão, concluído em 1982, permitiu o domínio da tecnologia de obtenção de zircônio e háfnio nuclearmente puros.

O Projeto Ciclone, concluído em 1986, permitiu o desenvolvimento de ultracentrífugas para obtenção de urânio enriquecido e o seu emprego conjunto em cascata, numa usina de enriquecimento.

Os projetos que estão ainda em desenvolvimento são o Remo e o Costado. O primeiro visa à obtenção de uma planta de propulsão nuclear, do tipo PWR de pequenas dimensões, para ser instalada em submarino. O Projeto Costado, por sua vez, visa capacitar a Marinha a construir um submarino que possa receber o reator nuclear.

Para conseguir terminar finalmente o reator nuclear, a Marinha precisa de mais um bilhão de dólares, investidos num período de 10 anos.
O presidente Lula, em julho de 2007, em visita ao Centro de ARAMAR, garantiu a liberação de recursos anuais de R$ 130 milhões, para a conclusão do reator e do programa de enriquecimento de urânio da Marinha.


O Projeto Costado

Enquanto construía os submarinos da classe “Tupi” (IKL-209/1400), com transferência de tecnologia alemã, a Marinha se preparava para projetar o primeiro submarino convencional de projeto brasileiro, o SNAC-I (ilustração acima). Ele seria uma “bancada de testes” para o futuro SNAC-II, o Submarino Nuclear de Ataque (SNA).

O então Ministério da Marinha contratou a HDW / IKL para fornecer um programa de treinamento para a elaboração de um projeto próprio de submarino no Brasil. Para esta finalidade, cerca de 30 engenheiros foram destacados para participar do treinamento durante os anos 1985 e 1986, seguido de uma fase de concepção de projeto entre os anos 1986 e 1990.

Houve treinamento de projeto de submarino no Rio de Janeiro, na forma de palestras, de 1º de abril a 7 de maio de 1985. Foram abordados os assuntos hidrodinâmica, resistência de materiais, termodinâmica, arquitetura naval de submarinos, física e química relacionada a submarinos.

Também foi feito o treinamento de projeto de submarinos na IKL em Lübeck, Alemanha, na forma de palestras, de 20 de maio a 19 de julho de 1985. Foram abordados os assuntos de projeto de casco de submarinos, propulsão, “lay-out” e eletricidade de submarinos.

Entre 5 de agosto a 6 de dezembro de 1985, foram abordados temas sobre mecânica, elétrica, automação e eletrônica, comunicações e sensores/sistemas de combate de submarinos.

Entre janeiro de 1986 e junho de 1990 (54 meses), o treinamento consistiu da Fase de Projeto de Concepção de um projeto próprio, baseado nos requisitos da Marinha do Brasil para um submarino convencional de grande porte, compreendendo as seguintes partes:

1.Estudo de Viabilidade (janeiro de 1986 a março de 1986)
2.Projeto de Concepção (abril de 1986 a dezembro de 1986)
3.Fase Preliminar do Projeto (janeiro de 1987 a maio de 1987)
4.Fase de Projeto de Contrato (julho de 1988 a junho de 1990).


Em 1º de outubro de 1990, todas as atividades foram interrompidas por parte da Marinha do Brasil.
Anos mais tarde, o projeto ressurgiu como SMB-10 (Submarino Médio Brasileiro), um modelo convencional com deslocamento carregado de 2.500 toneladas, 8m de boca e 67 metros de comprimento.

Mas a Diretoria de Engenharia Naval (DEN) ainda precisava contar com auxílio técnico estrangeiro para projetar o SMB-10, já que o Brasil não domina todas as facetas de um projeto dessa complexidade.

O projeto do SMB-10 também acabou cancelado, fazendo a Marinha partir para um projeto totalmente estrangeiro, de um submarino convencional que pudesse receber um reator nuclear posteriormente.

Aproveitando o legado

Em 6 de setembro de 2005, o jornal Valor, em sua edição online, noticiou que a Comissão de Financiamentos Externos (Cofiex) tinha aprovado a contratação de empréstimo internacional para construção de um submarino convencional alemão U-214 e a modernização dos cinco U-209 já existentes na Marinha. O financiamento, de 882,4 milhões de euros daquele ano, contratado no ABN AMRO, se somaria à contrapartida do Governo, de 135,9 milhões de euros (87% de financiamento e 13% de contrapartida), totalizando 1,08 bilhão de euros.

A construção do novo submarino ficaria a cargo da siderúrgica alemã ThyssenKrupp, por meio de sua subsidiária ThyssenKrupp Marine Systems, sob acordo de transferência de tecnologia para o governo brasileiro. A obra teria assessoria de outra subsidiária, a HDW (Howaldtswerke Deutsche Werft AG), o estaleiro que construiu o primeiro submarino do mundo (1850) e o primeiro motor a vapor para fins navais (1849).

Esperava-se começar a construção do submarino já em 2007, aproveitando a conveniência logística de se adotar um modelo alemão, possibilitando o uso de boa parte das instalações e ferramental do AMRJ, usados na construção dos submarinos da classe “Tupi” (U-209). O contrato com a ThyssenKrupp, porém, acabou não sendo assinado.

Mudança de rumo

Em setembro de 2007, o Presidente Lula assinou um decreto criando um grupo de trabalho para a elaboração do Plano Estratégico de Defesa Nacional.
Em fevereiro de 2008, Lula e o Presidente da França Sarkozy, encontraram-se na Guiana Francesa, onde conversaram sobre cooperação militar e tecnológica entre os dois países, incluindo a transferência de tecnologia de submarinos “Scorpène”.
Segundo o Chefe de Estado francês, a transferência de tecnologia permitirá ao Brasil construir futuramente seu submarino nuclear.
Quanto custa um submarino nuclear?

EUA, Reino Unido, França, além da Rússia e China, constroem e operam submarinos nucleares há décadas e, ao longo destes anos, fizeram investimentos bilionários em recursos humanos e em infra-estrutura necessários para a obtenção desses meios de combate.

Os altos custos de projeto, construção e operação e os riscos de operação de submarinos nucleares sem dúvida, preocupam suas Marinhas e, principalmente suas lideranças políticas.

As novas classes de submarinos nucleares de ataque, em construção nos Estados Unidos (Classe “Virginia”), Inglaterra (Classe “Astute”) e França (Classe “Barracuda”), dão uma idéia dos custos do desenvolvimento e construção desses complexos navios.

Os custos estimados de construção dos primeiros submarinos de cada série, baseados num estudo do United States General Accounting Office – GAO, publicado em 1996, são os seguintes:

Virginia (custo estimado em 1996, atualizado para valores de 2008): US$ 4,9 bilhões; custo para 30 navios: US$ 3,2 bilhões

Astute (custo estimado em 2007 ): ₤ 1,5 bilhões

Barracuda (custo estimado em 2006): € 1,9 bilhões
 ale lembrar que a cada submarino adicional da classe, o valor unitário vai caindo, por causa da economia de escala.


Quanto custará o submarino nuclear brasileiro?

Os cinco países construtores destas três classes de submarinos, têm décadas de experiência neste setor e dispõem de toda a complexa e caríssima infraestrutura industrial e de recursos humanos, e mesmo assim, não escaparam de riscos de aumento de custos e atrasos que, aliás, foram alertados antecipadamente por auditorias especializadas.

O submarino nuclear concebido pela Marinha do Brasil, conforme informações publicadas em vários artigos da imprensa e da Marinha, vai deslocar em torno de 6.000 toneladas, situando-se portanto entre o “Astute” britânico e o “Barracuda”, francês.

Sem dúvida, será um submarino mais simples tecnologicamente, mas sua estrutura, propulsão, sistemas auxiliares, sistemas de navegação e governo, acomodações etc., terão semelhança com os submarinos nucleares em construção nos EUA, Inglaterra e França.

Além disto, com certeza absoluta, os padrões de precisão, qualidade e confiabilidade, terão que ser equivalentes.

Com base nisso, pode-se assumir que, uma vez construída a infraestrutura física e adquiridos e treinados os recursos humanos necessários, o primeiro submarino nuclear brasileiro terá um custo e um prazo de projeto de construção no mínimo comparável ao de seus similares, porém o fator de risco de aumentos de custos e prazos será maior, provavelmente na faixa de 30% a 50%.
Utilizando os valores e prazos dos primeiros submarinos da classe “Virginia”, “Astute” e “Barracuda”, pode-se estimar o custo de construção do primeiro submarino nuclear brasileiro na faixa de € 1,8 a € 2,7 bilhões, ou US$ 2,8 a US$ 4,2 bilhões, ou R$ 4,3 a R$ 6,5 bilhões.

Projeções indicam que o programa do primeiro submarino nuclear brasileiro demandará, num prazo de 20 anos, recursos da ordem de R$ 13 a R$ 19 bilhões, incluindo a formação de pessoal, projeto, custo da primeira unidade, custo do estaleiro e nova base naval e ainda, o custo operacional nos primeiros cinco anos.

O prazo entre a decisão de alocar recursos para o projeto do submarino nuclear brasileiro e o término de um projeto de contrato, avançado o suficiente para permitir o início do contrato de construção, pode ser estimado entre 5 e 8 anos, contados a partir da existência de um núcleo de engenheiros com experiência e qualificação adequadas para fazer o projeto de submarinos.

O prazo de construção do primeiro submarino nuclear nacional até a entrega, contado a partir do término do projeto de contrato, pode ser estimado na faixa de 10 a 15 anos.
 Temos assim o prazo total estimado para o empreendimento, entre 15 e 23 anos, mais o período necessário para formar o núcleo de engenheiros.


Teremos a massa crítica de engenheiros para projetar o submarino?

Talvez o maior desafio do Programa Nuclear da Marinha, depois da questão orçamentária, seja a formação de um núcleo de engenheiros apto a projetar submarinos e, na segunda fase, projetar o primeiro submarino nuclear brasileiro.

A RAND Corporation (www.rand.org) publicou dois estudos sobre projetos de submarinos nucleares: “Sustaining Design and Production Resources – The UK Nuclear Submarine Industrial Base”, de 2005, descrevendo a situação na Inglaterra e “Sustaining U.S. Nuclear Submarine Design Capabilities”, de 2007, descrevendo a situação nos Estados Unidos.

O objetivo principal destes estudos era analisar as formas de manter disponíveis as capacidades e o conhecimento, nos períodos entre um projeto de uma classe de submarino nuclear e a próxima. Os estudos contém informações valiosas sobre os projetos propriamente ditos, em termos de prazos e número de pessoas necessárias e mostram como está cada vez mais difícil para os EUA e o Reino Unido conseguirem manter sua capacidade técnica e industrial para a produção de submarinos.

Tanto nos Estados Unidos quanto na Inglaterra o projeto dos submarinos nucleares é feito através de um esforço conjunto entre as marinhas e os estaleiros especializados. Assim por exemplo, o estudo da RAND relativo aos Estados Unidos cita a necessidade de aproximadamente 170 especialistas da Marinha e aproximadamente 800 a 1.050 especialistas do estaleiro, apenas para manter a capacidade de projeto. Este número cresce para 350 homens da Marinha e cerca de 15.000 homens/ano ou 35 milhões de homens/hora do estaleiro, para fazer o projeto completo de um novo submarino nuclear semelhante ao “Virginia”. O prazo citado é de cerca de 15 anos, o que inclui o período de construção do primeiro submarino.

O estudo da RAND relativo à Inglaterra, publicado em 2005, cita o prazo estimado de 16 anos para o primeiro submarino da classe “Astute”, mas o “Astute” sofreu um atraso de vários anos. O mesmo estudo cita que o projeto do submarino da classe “Astute” está estimado em 8,5 milhões de homens/hora, não especificando a divisão entre Royal Navy e estaleiro.

Para um novo projeto, o estudo RAND inglês indica a necessidade de uma equipe de 750 engenheiros e técnicos, a ser formada em torno de um núcleo de 200 especialistas num prazo de cerca de 6 anos. Esta equipe permanece com sua capacidade máxima por 2 anos e, nos próximos 3 anos se reduz para cerca de 250 engenheiros e técnicos. A partir daí, até a entrega do primeiro submarino, a equipe fica constante, reduzindo-se após esta data para aproximadamente 150 engenheiros, que novamente permanece constante até o final do programa que, no caso da Inglaterra, coincide com o início do projeto de uma nova série de submarinos nucleares.

Já se comentou que o submarino nuclear brasileiro deverá ser mais simples que os da classe “Astute”. Mesmo assim, o estudo da Rand permite que se faça algumas estimativas. É razoável se assumir que a equipe de projeto brasileiro necessite de um pico de aproximadamente 700 pessoas, entre engenheiros, técnicos e administradores por um prazo igual ou superior ao demandado pela classe “Astute”.

Um prazo total de 15 a 20 anos de construção, desde que se parta de um núcleo de engenheiros com experiência e qualificação já comprovada em projeto de submarinos parece razoável. Este núcleo de engenheiros, de no mínimo 200 especialistas, terá que ser formado, o que nas condições atuais de fortíssima demanda do mercado nacional de engenharia levará, no mínimo, de 5 a 7 anos.

Ainda de acordo com o estudo da RAND relativo à Inglaterra, as disciplinas técnicas requeridas para projetos de submarinos nucleares incluem no mínimo:

Arquitetura naval
Engenharia mecânica
Engenharia elétrica
Engenharia de estruturas
Som e vibrações
Dinâmica de sistemas
Engenharia de pesos
Metalurgia e engenharia de solda
Física de radiações nucleares e proteção
Engenharia de sistemas
Propulsão nuclear
Engenharia de Sistemas de Controle
Engenharia de segurança e operações
Testes e comissionamento
Gerenciamento de projeto
Engenharia de aplicações
Projeto detalhado: (elétrico, máquinas, casco)
Gerenciamento de detalhamento


Com estas considerações é possível estimar uma equipe técnica para projeto do primeiro submarino nuclear brasileiro, em 5 fases:

Fase 1: Formação do Núcleo: Evolui de 0 para uma composição de 200 pessoas em 5 anos, com alta especialização.
Fase 2: Evolui de 200 para 700 pessoas em 6 anos, com alta e média especialização.
Fase 3: Permanecem no máximo 700 pessoas durante 3 anos
Fase 4: Reduz, em 4 anos, de 700 pessoas para 250 pessoas, com alta e média especialização
Fase 5: Permanece constante, com 250 pessoas, com alta e média especialização, até a entrega do submarino.


Os custos para a formação do pessoal nos primeiros 5 anos (Fase 1), onde se forma o núcleo de projeto do submarino, devem alcançar facilmente os R$ 300 milhões.

Nos 15 a 20 anos seguintes, período em que se projeta e constrói o primeiro submarino nuclear nacional, a estimativa de investimento necessário em pessoal (folha salarial, equipamentos, softwares, consultoria etc) giraria em torno de R$ 2 bilhões (aplicando-se a estes valores o desvio padrão de +/- 20% no custo do projeto).

A real situação da Marinha

“O poder naval brasileiro poderá desaparecer até 2025, se até lá não houver novos investimentos em equipamentos.” O alerta foi dado pelo comandante da Marinha, almirante-de-esquadra Julio Soares de Moura Neto, em audiência pública promovida pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), no dia 16 de agosto de 2007.

O Programa de Reaparelhamento da Marinha requer um investimento de R$ 5,8 bilhões ao longo do período de 2008 a 2014 e ainda não foi aprovado.
As prioridades iniciais do programa, segundo o comandante, são a construção de submarinos e navios-patrulha e a aquisição de helicópteros. O valor do PRM é praticamente o mesmo do primeiro submarino nuclear brasileiro!
Isso sem contar os custos da infra-estrutura necessária à construção, operação e manutenção.

Os investimentos no Programa Nuclear da Marinha até agora ocorreram às custas de cortes em importantes setores e atividades da Força, como a operação dos meios da Esquadra, a aquisição de sobressalentes, a manutenção dos navios e o adestramento.

Um reflexo disso é o estado de paralisia da aviação embarcada de asa-fixa e do NAe São Paulo, por falta de recursos que foram drenados pelo Programa Nuclear.
Mesmo com o aporte financeiro prometido pelo atual Governo para a conclusão do projeto do reator nuclear, percebe-se claramente que, mantida a conjuntura atual, não haverá verba suficiente para a construção do(s) submarino(s) nuclear(es) brasileiro(s), a não ser que haja um sensível aumento no orçamento do Comando da Marinha.

E mesmo que o aumento no orçamento ocorra, será preciso avaliar se vale a pena construir submarinos nucleares daqui a 20 anos, quando o gap entre o desempenho destes e dos submarinos convencionais será bem menor, graças ao desenvolvimento tecnológico. Com o valor gasto na construção de apenas um submarino nuclear, seria possível construir 3 ou 4 submarinos convencionais com AIP.

Com o anúncio da Estratégia Nacional de Defesa e as referências quase que constantes ao submarino nuclear como a arma ideal para proteger a “Amazônia Azul”, é possível que o submarino nuclear brasileiro seja construído algum dia, mas é fundamental que, até lá, a Marinha do Brasil não negligencie os avanços dos submarinos convencionais, investindo também em outras tecnologias de propulsão independentes da atmosfera.

Até que o submarino nuclear chegue, os submarinos brasileiros não poderão depender somente do snorkel para sobreviver num conflito.

Poder Naval

Novo estudo sugere que a galáxia está infestada com “planetas nômades”

Renderização artística de um objeto nômade vagando pelo espaço. O objeto está borrado intencionalmente para representar a incerteza de ter ou não um atmosfera. Credito: Greg Stewart / SLAC National Accelerator Laboratory

Pesquisadores do Instituto Kavli para Cosmologia e Astrofísica de Partículas (Kavli Institute for Particle Astrophysics and Cosmology – KIPAC) sugerem em um novo estudo que nossa galáxia pode estar infestada com “planetas nômades”, vagando através do espaço, ao invés de orbitar ao redor de estrelas.

De fato, dizem os pesquisadores, devem haver 100.000 vezes mais desses planetas na Via Láctea (nossa galáxia) do que estrelas. E se as observações confirmarem esta estimativa, isto poderia afetar as atuais teorias da formação de planetas, e mudar nossa compreensão da origem e abundância da vida.

“Se qualquer destes planetas nômades forem grandes o suficiente para segurarem uma atmosfera, eles poderiam ter prendido calor suficiente para a existência de vida bacteriana“, disse o líder do estudo, Louis Strigari.

Pelo uso de microlentes gravitacionais, a equipe do KIPAC já descobriu alguns planetas nômades em nossa galáxia. Os astrônomos lançaram a hipótese de que poderia haver duas vezes mais planetas nômades do que estrelas na Via Láctea, mas a equipe de pesquisas acredita que o número deve ser multiplicado por 50.000.

Para chegarem a este número, eles levaram em consideração a puxão gravitacional da Via Láctea, a quantidade de matéria disponível para fazer tais objetos e como essa matéria poderia ser distribuída. Porém, há espaço para erro, pois ainda é grande a incerteza de como os planetas nômades se formam. Alguns provavelmente ejetaram de sistemas solares, mas os pesquisadores indicam que nem todos poderiam ter sido formados dessa forma.

Esperando encontrar a resposta para esta charada, a equipe do KIPAC planeja empregar o Wide-Field Infrared Survey Telescope, com base no espaço e o Large Synoptic Survey Telescope, com base na Terra, ambos os quais estão agendados para entrar em operação no início de 2020.

Se realmente houverem tantos planetas nômades por aí, há uma possibilidade real de que eles poderiam estar espalhando a semente da vida através de suas colisões, dizem os pesquisadores.

“Poucas áreas da ciência tem empolgando tanto o interesse popular e profissional em tempos recentes quanto a prevalência de vida no universo,” diz Roger Blandford, diretor da KIPAC. “É maravilhoso que podemos agora começar a olhar para esta questão de forma quantitativa, procurando mais destes planetas e asteróides que vagam pelo espaço interestelar, e então especular os ‘bichinhos’ que pegam carona“.

Os cientistas apontam que embora os planetas nômades não tenham estrelas para mantê-los quentes, eles podem ser capazes de gerar calor através da deterioração nuclear e da atividade tectônica. Seu documento foi publicado nas notícias mensais da Royal Astronomical Society.

Outros autores do documento incluíram Matteo Barnabè, membro da KIPAC, e do membro afiliado da KIPAC, Philip Marshall da Universidade de Oxford. A NASA, a National Science Foundation e a Royal Astronomical Society deram suporte à pesquisa.

Ovni Hoje

Buzz Aldrin, o segundo homem a pisar na Lua, reafirma que OVNI acompanhou a missão Apollo


Apesar de sabermos que Jaime tem a tendência de exagerar em suas reportagens, ou até mesmo apresentar coisas obviamente naturais como sendo extraordinárias, é indiscutível o fato de que muito do que ele apresenta são ocorrências genuínas.

E este é o caso do seguinte vídeo, que mostra o famoso astronauta Buzz Aldrin, alegadamente o segundo homem a pisar na Lua, em entrevista num canal de televisão francesa, reafirmando que ele e o resto da tripulação (Neil Armstrong e Michael Collins) durante sua missão até a Lua em 1969, viram e filmaram um OVNI acompanhando sua nave.

Ovni Hoje

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Antártica - Nova estação em dois anos



Marinha diz que 70% da base foram destruídos, e Ministério da Defesa investiga curto-circuito

A Marinha contabilizou a destruição de 70% da Estação Antártica Comandante Ferraz, após o incêndio que matou dois militares, feriu um terceiro e causou sérios prejuízos à pesquisa científica brasileira no continente gelado. O Ministério da Defesa investiga se um curto-circuito na praça de máquinas da EACF provocou o acidente. No sábado, o ministro da Defesa, Celso Amorim, disse que o planejamento da nova estação Antártica, na Ilha Rei George, deve começar já a partir de hoje e a base deve ser totalmente refeita em dois anos. Segundo o ministro, a nova base terá uma arquitetura nova, mais "completa e orgânica".

- A nossa ideia é imediatamente, já, chamar arquitetos para fazer desenhos, inclusive um desenho mais novo. Não estou dizendo que é por isso que aconteceu o incêndio, mas, obviamente, a base começou há 30 anos, então, ali ela foi agregando um pedaço ou outro. Agora já podemos pensar numa coisa para o futuro, digamos, de maneira mais completa, mais orgânica - disse Amorim.

Haverá urgência no levantamento dos estragos na estrutura física dos equipamentos de medição científica, bem como na elaboração do inventário das informações científicas consumidas pelo fogo. Segundo a Marinha, o prédio principal, onde ficava a parte habitável e alguns laboratórios da estação, foi totalmente destruído. Porém, o ministro da Ciência e Tecnologia informou que alguns contêineres, como os que armazenavam equipamentos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), podem ter sido preservados.

- O programa antártico é estratégico para o país. Então, não pode parar, obviamente. Temos que fazer esse inventário nas próximas semanas. Equipamentos que fazem medições permanentes e tiveram que parar. Esse é o exemplo das medições do oceano e da atmosfera. Parou isso? Isso tem que ser continuado - explicou Raupp.

A Marinha informou que os refúgios (módulos isolados para casos de emergência), os laboratórios (de meteorologia, de química e de estudo da alta atmosfera), os tanques de combustíveis e o heliponto, estruturas isoladas do prédio principal, resistiram ao incêndio.

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCT&I), Marco Antônio Raupp, determinou a realização de estudo para avaliar se o navio polar Almirante Maximiliano, que opera desde 2009 e auxiliou no resgate às vítimas, terá condições para servir de base provisória. Se esse uso do navio for possível, o Brasil se valerá de um investimento de R$ 80 milhões, que resultou na construção de uma embarcação que opera com capacidade para abrigar helicópteros UH-12/13 (Esquilo) e IH-6B (Bell Jet Ranger), com um hangar climatizado. Foram instalados ainda cinco laboratórios, sendo dois secos, dois molhados e um misto, os quais abrigam modernos equipamentos para o desenvolvimento de projetos científicos no ambiente antártico.

Programa não será interrompido

Raupp salientou que projetos detecnologia avançada, como a Estação Antártica, estão sempre sujeitos a acidentes. Entre os cientistas, consultados pelo GLOBO, não há reclamação quanto a problemas de manutenção de equipamentos ou da própria estrutura da EACF.

- Os países que encaram o desafio de tocarem projetos de grande complexidade tecnológica correm esse risco. Você deve se cercar de condições de segurança e salvaguardas para evitar esse tipo de ocorrência e outros danos. Mas dizer quenão vai acontecer nada, não existe isso.

O diretor do Centro Polar e Climático da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Jefferson Simões, diz que o programa antártico continuará funcionando porque a Comandante Ferraz, apesar de concentrar uma parte importante das pesquisas brasileiras, não era a única estação científica brasileira. Ele explica que pelo menos metade dos pesquisadores trabalha em navios de pesquisa ou em acampamentos isolados na Antártica.

-- O processo de reconstrução, para voltar ao nível em que estava, demorará de dois a três anos. A logística é muito difícil e só podemos construir durante o verão antártico. E o inverno já está chegando - observa.

Defesa Net

Abortado atentado contra Putin

Os serviços secretos da Rússia e Ucrânia abortaram um atentado à bomba contra Vladimir Putin e uma série de outros atentados no território da Rússia. O grupo de terroristas, procurado pela justiça internacional, foi capturado na cidade ucraniana de Odessa há cerca de um mês. O grupo estava planeando, conforme declarações prestadas de um dos seus membros em interrogatório, levar a cabo o atentado contra Putin e uma série de explosões logo após as eleições de 4 de março.

A informação sobre a preparação de um atentado em grande escala foi avançada hoje de manhã pelo primeiro canal da televisão russa (ORT). Os serviços secretos ucranianos e o serviço de imprensa do primeiro-ministro russo já confirmaram a veracidade destas informações.

Segundo os últimos dados apurados, dois indivíduos – Ilia Piyanzin e Ruslan Madaev, procurados internacionalmente, tinham chegado a Odessa provenientes dos Emirados Árabes. De acordo com as declarações de Piyanzin, eles tinham instruções precisas da parte de Doku Umarov, chefe dos terroristas chechenos.

“Para começar, disseram: vão para Odessa, aprendam a fabricar bombas. Depois, já em Moscou, vão fazer sabotagens em estruturas económicas. Em seguida, o atentado contra Putin. Quando chegámos de avião a Odessa, deram ao Ruslan o número da pessoa que se devia encontrar connosco aqui”, disse Ilia Piyanzin.

Odessa devia ser apenas um simples local de trânsito. No entanto, durante a fabricação da bomba se deu uma explosão, tendo um dos terroristas - Ruslan Madaev – morrido.

O “agente de ligação” fugiu ainda antes de os bombeiros terem chegado.

Ilia Piyanzin foi levado com queimaduras para o serviço de cuidados intensivos do hospital local, vigiado por funcionários dos serviços secretos.

Foram precisamente as declarações de Piyanzin que levaram à detenção do terceiro indivíduo, Adam Osmaev, natural da Chechênia. A detenção deste último ocorreu a 4 de fevereiro mas, nessa altura, o Serviço de Segurança da Ucrânia preferiu não tornar público o caso. A razão foi ter sido encontrada informação importante no computador do checheno, nomeadamente o plano detalhado da operação, informam os serviços secretos ucranianos.

“Entre os ficheiros havia vídeos com o itinerário da comitiva, em particular do carro de Putin, para saberem em que carro iria entrar o político, quantos carros o acompanhavam, a partir de que ângulos, conforme as diversas ruas, ou seja, eles estudavam a situação não com base em um exemplo, mas em vários”, diz um agente dos serviços secretos.

De acordo com Osmaev, a maioria das operações deveria ser feita à distância, embora estivesse planeada uma explosão por um terrorista suicida.

Osmaev está colaborando ativamente com a investigação. Foi precisamente com base em suas declarações que soubemos que os explosivos tinham sido previamente transportados para Moscou. Um dos atentados deveria ter sido perpetrado na zona da avenida Kutuzov, a avenida por onde as comitivas do primeiro-ministro e do presidente costumam passar.

Os serviços secretos da Rússia e da Ucrânia prosseguem as investigações. Naturalmente, nem toda a informação foi tornada pública. No entanto, a julgar pelos dados existentes os serviços secretos dos dois países foram relativamente rápidos na sua colaboração, declarou à Voz da Rússia o vice-presidente da Comissão para a Segurança da Duma municipal de Moscou, Serguei Goncharov, veterano do Grupo Alfa.

“Atualmente, os serviços secretos da Ucrânia e da Rússia fizeram um trabalho de cooperação de alto nível, o que permitiu fazer a detenção. Existe a confissão do detido, o que permite dizer que estas pessoas eram bandidos e estavam preparando um atentado. Segundo: concluímos com isto que a direção do país está sempre protegida de forma segura ”, disse.

Voz da Rússia

Projeto Submarino Nuclear Brasileiro

BRASIL, O PRÓXIMO ALVO.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Ira suspende a venda de petróleo a Grécia.





O Irã cancelou o envio de meio milhão de barris de petróleo à Grécia, segundo as agências Fars. "Os navios que vieram para transportar 500.000 barris de petróleo iraniano para um uma refinaria grega retornaram de mãos vazias", disse a agência sem citar fontes.

De acordo com a Fars, os petroleiros têm como destino a refinaria grega de Hellenic.

No domingo, o Irã anunciou a suspensão do fornecimento de petróleo para as companhias de petróleo do Reino Unido e França .

Assim, Teerã começou a cumprir suas advertências, após o 23 de janeiro quando a UE decidiu impor sanções financeiras e um embargo de petróleo e comercial do Irã, que entrará em vigor em julho. Como resultado, os preços O petróleo subiram para o risco de que a cessação das exportações iranianas pode se espalhar para outros países europeus.

68% das reservas de petróleo destinados a Europa pelo Irã são destinados a três paises do sul da Europa: Grécia, Itália e Espanha. A República Helénica é mais dependente do petróleo iraniano e as importações do Irã representam 35% do consumo total no país. Ahmad Qalebani, Vice-ministro de Petróleo iraniano prevê que o embargo europeu, que foi imposta como a pressão internacional para fazer Teerã suspenda seu programa nuclear , aumentar os preços do petróleo para cerca de US $ 150 o barril.

Irã fornece cerca de 20% de seu petróleo para a Europa. Tendo em vista o embargo da UE, o país já esta preparado para a redistribuição de perdas de exportação. Em janeiro, a Índia se tornou o maior importador de petróleo do Iraque, 38%, aumentando suas compras de petróleo da República Islâmica.

A BOMBA ATÔMICA BRASILEIRA

Arquivos Extraterrestres - Operação Prato - O Caso Roswell Brasileiro - History Channel

Caso do Extraterrestre de 4 metros Avistado em Rodovia da Itália em Investigação - Atualização com Entrevista

O caso do extraterrestre da Itália tem sido seguido por um especialista em ufologia o professor Antônio Chiumiento, que tem acompanhado os eventos incomuns e avistamentos de OVNIs nos últimos 35 anos. Chiumiento foi contactado por D'Andrea e levou a sério a sua história, decidindo investigar o fato ocorrido no local (sábado 11 de fevereiro de 2012). Através das palavras do professor, “Uma das pessoas que Leonard tinha visto trancada dentro do carro, falou para mim, e pela nova versão dada por esta testemunha, confirma exatamente os fatos narrados por Leonard”. Temos, portanto, um novo testemunho, que alega ter enfrentado a criatura estranha alguns minutos antes da chegada de D'Andrea. A testemunha falou de seus momentos de terror: “Um terror que me fez fugir e fechar-me dentro do meu carro”.



De acordo com Chiumiento, o caso não é uma farsa, especialmente considerando as observações dos efeitos causados no ambiente, assim como o que estava acontecendo: “Além do silêncio total na área, o fato de que as lâmpadas da avenida ligaram e desligaram, é uma evidência que contribui para apoiar o que me foi dito pela testemunha anterior”. Mesmo que a situação seja dúbia e quase que de ficção científica como, o especialista em OVNIs declarou, há mais evidências levando a crer que o avistamento é um evento de relevância internacional. Ele acrescentou: “Eu vou em frente, mesmo que seja difícil provar a origem alienígena desse fenômeno, considerando-se o ceticismo demonstrado por muitos”.

"Para aqueles que pensam que é tudo uma brincadeira, eu só posso dizer que Giuseppe D'Andrea, pai de Leonard é um ex-soldado, chamou-me às 08h30min da manhã de domingo (12) para explicar o que tinha acontecido na noite anterior. “Ele estava extremamente chateado e eu, pessoalmente, ao ouvir a história dos dois”.

O professor disse que teve um sentimento de vergonha contra aqueles que “julgaram sem saber”, confirmando que absolutamente, o fato tenha sido encenado ou inventado.

Em relação ao avistamento de sábado, a nova testemunha, que, aparentemente, quer permanecer anônima, disse que admirava a coragem daqueles que se aproximaram da criatura alienígena.
Esta testemunha concluiu sua narração dos fatos para Chiumiento com as seguintes palavras: “Quando várias pessoas se aproximaram da criatura, pensando que alguém tinha sido atropelado por um carro, enquanto o ser estranho estava realmente, ajoelhando-se, se bem me lembro - perguntei a ele, a quem eles pensavam que era um homem: Você precisa de ajuda? Você se machucou? A criatura se levantou e foi em direção às testemunhas, mas não deu nenhum sinal de agressividade. Na medida em que as pessoas perceberam a monstruosidade da criatura, as pessoas correram e literalmente se trancaram dentro do carro. A criatura estava se movendo entre os carros como se os ocupantes não estivessem lá! Em minha opinião, esse comportamento é um sinal claro de não hostilidade para nós”.

projeto quartzo azul

Irã amplia rapidamente atividade nuclear, diz AIEA

VIENA, 24 Fev (Reuters) - O Irã ampliou fortemente o seu polêmico programa de enriquecimento de urânio, disse a agência nuclear da Organização das Nações Unidas (ONU) em um relatório divulgado na sexta-feira.

"A agência continua tendo sérias preocupações a respeito das possíveis dimensões militares do programa nuclear do Irã", disse a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) em seu relatório trimestral sobre o Irã.

A agência também relatou o fracasso da sua missão que foi nesta semana a Teerã para tentar esclarecer dúvidas sobre o programa iraniano, inclusive com acesso a uma suposta instalação para testes de explosivos.

Os Estados Unidos disseram que o relatório confirma que o Irã viola as resoluções do Conselho de Segurança da ONU e que Teerã fracassou em convencer o mundo que seu programa nuclear é pacífico.

A chefe de política externa da União Europeia, Catherine Ashton, afirmou que o novo documento eleva as preocupações sobre o programa iraniano.

Israel, EUA e outros governos ocidentais suspeitam que o Irã esteja desenvolvendo armas nucleares secretamente, algo que a República Islâmica nega, alegando que seu interesse é apenas gerar eletricidade com fins civis.

O enriquecimento de urânio pode servir para fins civis ou militares. Sua rápida expansão no Irã, a despeito das diversas sanções internacionais para pressionar o país a abandoná-lo, indica que Teerã não tem intenção de fazer concessões no seu impasse com o Ocidente.

O relatório confidencial da AIEA diz que o Irã triplicou desde o final do ano passado a sua produção de urânio refinado até um grau que deixa o país significativamente mais próximo de obter material para bombas atômicas, segundo uma fonte familiarizada com a investigação da agência.

O diretor-geral da AIEA, Yukiya Amano, escreveu no relatório que o Irã deveria oferecer "acesso rápido" à instalação militar de Parchin, perto de Teerã, onde a agência suspeita que haja uma câmara de contenção para o teste de explosivos.

A falta de acordo sobre essa visita, durante dois dias de visita de funcionários da AIEA a Teerã na semana passada, torna ainda mais improvável a retomada de uma negociação mais ampla envolvendo o Irã e seis grandes potências - EUA, Rússia, China, França, Grã-Bretanha e Alemanha -, um processo que está abandonado desde 2010.

O relatório da AIEA diz que o Irã ampliou significativamente suas atividades na sua principal usina de enriquecimento, perto de Natanz (centro), e que também intensificou suas atividades na instalação subterrânea de Fordow.

Em Natanz, segundo a AIEA, há 52 grupos de centrífugas para enriquecimento, com 170 máquinas em cada. Em novembro havia apenas 37 grupos.

Em Fordow, quase 700 centrífugas atualmente refinam urânio até uma concentração físsil de 20 por cento, e há preparativos para elevar esse grupo de pureza.

O uso do urânio em armas nucleares exige pelo menos 90 por cento de concentração, mas especialistas ocidentais afirmam que a etapa mais difícil dessa tecnologia é chegar aos 20 por cento.

Os EUA e Israel não descartam uma ação militar para destruir o programa nuclear iraniano. Diante dessa ameaça, o Irã está transferindo uma boa parte da sua atividade de enriquecimento para Fordow, que supostamente funciona sob uma proteção de 80 metros de rochas e terra.

Reuters BR

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Cai um meteorito de 100kg no Canadá


Um meteorito gigante entrou nesta quarta-feira na atmosfera sobre o território central do Canadá.
Don Hladek, um astrônomo do Centro Científico de Calgary, conseguiu filmar parte de sua trajetória com uma câmara especial. Segundo uma estimativa preliminar, a massa do meteorito, caído supostamente na província Saskatchewan, era de uns 100 kilogramos.

“Era mais brilhante que a Lua. Algumas testemunhas afirmam que ouviram um estrondo. Possívelmente, fora o momento onde o meteorito se desintegrou durante a queda”, comenta o astrônomo canadense.
O meteorito caiu a uma velocidade de 20 quilômetros por segundo, 60 vezes mais rápido que a do som. As testemunhas do momento de sua aparição, descrevem o corpo celeste como um globo de cor amarela e laranja, que depois se transformou em verde e vermelho.
Segundo a legislação do Canadá, os donos do terreno onde ocorreu o impacto do meteorito possuem direito sobre a propriedade do mesmo.

Curiosamente, este blog postou a preocupação da Nasa com as bolas de fogo que vêm caindo na Terra, leia este artigo:
Cientistas da Nasa intrigados com as bolas de fogo que caem na Terra
Além disto, o blog Ovni Hoje postou a queda de uma esfera de titânio de 30kg em Anapurus, MA:
Esfera metálica cai do céu e assusta moradores de Anapurus, MA
Para quem acha que já viu essa esfera antes, não está imaginando coisas, é igual à que caiu na Namíbia:
Provável origem da esfera da Namíbia é divulgada

Estas esferas, segundo a Nasa, são os tanques de combustível de seus foguetes. Um leitor do blog citado postou o link de um blog no domínio da Nasa onde é admitido isto.
Aí eu pergunto, se estão caindo os tanques de combustível, seria possível que os próprios satélites estejam despencando na Terra devido ao fato do campo magnético da Terra estar enfraquecendo, conforme postado em outros artigos deste blog?

Estão esperando que algum objeto mate alguém aqui em baixo para vir a público explicar o que está acontecendo? E ao afirmarem que se trata de satélites caindo, vão dizer à humanidade qual é o verdadeiro motivo para que estejam despencando misteriosamente da atmosfera terrestre?
No artigo onde fala sobre as bolas de fogo monitoradas pela Nasa o cientista desta agência afirma que as bolas são do cinturão de asteróides, mas as atuais não sabe explicar suas origem exata e nem o seu comportamento anômalo ao entrar na atmosfera terrestre.

Outro artigo da Nasa bem intrigante: as nuvens no planeta estão mais baixas, até 40 metros mais baixas, e os cientistas TAMBÉM não sabem explicar o motivo, para completar ainda dizem: “something quite important might be going on“(algo muito importante pode estar acontecendo). Além de não saberem o que está causando o rebaixamento das nuvens, afirmam que isto pode esfriar ainda mais o planeta! Mas que coincidências interessantes não?

A minha teoria é que que tudo isto esteja relacionado com a explosão no centro da galáxia. O que estamos presenciando talvez esteja relacionado com a chegada dos raios gamma e a onda de choque emitidos pela explosão. Se é isto eu não sei, mas percebo que fenômenos estranhos estão ocorrendo no mundo e não estão dando os devidos esclarecimentos.
Algo muito importante está acontecendo lá fora.

Caminho Alternativo

Anúncio chocante sobre CHEMTRAILS na mídia convencional

Ufoarqueologia - Evidências sensacionais


A Ufoarqueologia trás evidências fantásticas da presença e interferência de civilizações extraterrestres na história da Terra. Um vídeo postado recentemente no Youtube mostra algumas destas evidências. Realmente só não vê quem não quer. Poderíamos estar num estágio mais avançado em pesquisas deste tipo se ao invés de duvidarem eternamente da presença alienígena na Terra, a maioria das pessoas aceitassem isso, pelo menos como uma grande possibilidade.
A mídia tem papel fundamental neste processo, na medida em que prefere chacotear os eventos e mostrarem apenas o lado negativo da coisa, como os falsos eventos, por exemplo.

Coreia do Norte promete 'guerra sagrada' contra Coreia do Sul

A Coreia do Norte ameaçou neste sábado travar uma "guerra sagrada" em resposta a exercícios militar planejados em conjunto por sua arquirrival Coreia do Sul e os Estados Unidos, dizendo que está determinada a impedir que Washington imponha sua vontade política.

O comunicado foi emitido pela Comissão Nacional de Defesa do Norte, um dia após o recluso Estado realizar sua primeira rodada de negociações com os EUA desde que o jovem e inexperiente Kim Jong-un assumiu o cargo em dezembro, após a morte de seu pai.

"Agora que uma guerra foi declarada contra nós, o Exército e as pessoas estão firmemente determinadas a enfrentá-la com uma guerra sagrada em nosso próprio estilo", disse o comunicado, divulgado pela agência de notícias estatal KCNA.

"Os imperialistas norte-americanos são o inimigo jurado que querem lançar uma guerra de agressão para impor um 'estilo político americano sobre nós'..." A guerra sagrada, disse, usaria "meios fortes desconhecidos pelo mundo".

AMEAÇA DO SUL

Pyongyang tem usado periodicamente o termo "guerra sagrada" para combater o que vê como ameaça do Sul e de seu aliado norte-americano.
Os Estados Unidos e a Coreia do Sul agendaram manobras militares separadas para a semana que vem.

O Norte elevou seu nível de alerta militar desde que os aliados fizeram um treinamento de artilharia na semana passada perto da fronteira marítima disputada na costa oeste --ambém perto de uma ilha sul-coreana bombardeada pelo Norte após um exercício semelhante em 2010.

O último treinamento, descrito pelo Sul como rotineira, ocorreu sem incidentes.

Na sexta-feira, o Representante Especial da Política dos EUA para a Coreia do Norte, Glyn Davies, encerrou dois dias de negociações com seu correlato norte-coreano em Pequim, visando conduzir à retomada das negociações entre seis partes para persuadir o Norte a abandonar seu programa nuclear.

Dirigindo-se aos jornalistas em Seul neste sábado, depois de informar funcionários sul-coreanos, Davies disse que as negociações, as primeiras desde a morte do antigo líder Kim Jong-il, foram "um bom começo com o novo governo na RDPC (República Democrática Popular da Coreia, o nome oficial da Coreia do Norte)."

Ele reafirmou os fortes laços entre a Coreia do Sul e os Estados Unidos --que possui cerca de 28 mil soldados no país.

Folha UOL

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Auto de fé americano em Bagram

De pouco serviu ao presidente norte-americano pedir desculpa ao povo afegão, na pessoa do presidente Hamid Karzai, pela queima de vários exemplares do Corão, levada a cabo por militares da NATO. As manifestações prosseguem, com vários mortos de um lado e doutro. Amanhã, sexta-feira, será como sempre um dia crítico.

A mensagem de Obama a Karzai, citada pela Agência France Press, afirma: "Apresento-lhe, bem como ao povo afegão, as minhas mais sinceras desculpas". Segundo o presidente norte-americano, a queima de vários exemplares do livro sagrado islâmico na base militar de Bagram foi "um erro (...) cometido inadvertidamente".
Os manifestantes, porém, não se dão por satisfeitos com o pedido de desculpas e continuam a gritar, nas ruas, slogans como: "Queremos os culpados julgados, desculpas não bastam".
Obama tentou apaziguar os manifestantes prometendo, na carta a Karzai, que o oficial norte-americano responsável pelo "erro" teria de "prestar contas".

No terceiro dia dos protestos, o número de manifestantes mortos vai já em doze. Mas hoje, quinta-feira, foram também mortos na província de Nagarhar, no Leste do país, dois militares da NATO. Quando uma manifestação se aproximava da base da NATO, um soldado afegão, fardado, abriu fogo sobre as duas vítimas e desapareceu depois no meio da multidão.

Além da referida base, hoje foram também atacadas a tiro duas outras em Oruzgan (no Sul do AFeganistão) e uma base das tropas francesas em Nagrab, na província de Kapisa.
A queima de exemplares do Corão verificou-se na noite de segunda para terça-feira, na base norte-americana de Bagram, a norte de Cabul, onde vários exemplares do Alcorão foram colocados numa incineradora para destruição. E tem dado, desde então, lugar a inúmeras manifestações, que vêm em crescendo. Receia-se que amanhã, dia em que os fiéis se concentram nas mesquitas, a violência possa atingir um patamar de gravidade ainda maior.
Fontes afegãs disseram que funcionários afegãos da base terão detectado os exemplares do livro sagrado e tentado impedir que fossem destruídos, retirando alguns que depois levaram para fora da base para denunciar o caso.

Os taliban tiveram reacções ambíguas e desencontradas, garantindo primeiro o seu porta-voz Zabiullah Mudjahid que o incidente "não afectaria o processo do Qatar [negociações em curso entre EUA e taliban]", embora outras fontes taliban tenham apelado a uma ampla retaliação.

KafeKultura

Ser que desce do céu, gravado no Japão

"Guerra Santa"! Igreja Universal X Igreja Mundial - Sai dessa babilônia povo.

A guerra religiosa entre Edir Macedo e Valdemiro Santiago continua ardendo. No início do mês, o chefe da Universal pôs no ar um vídeo em que uma mulher supostamente possuída pelo diabo atacava a igreja do seu concorrente.

Edir Macedo acaba de postar no YouTube um vídeo que vai gerar muita polêmica com Valdemiro Santiago, o seu maior adversário no meio evangélico. Valdemiro deixou a Universal há anos. Desde então, carrega vários pastores da igreja de Macedo – e, mais importante, tem roubado milhares de fiéis da concorrente.

Na imagem, Macedo aparece exorcizando uma mulher supostamente possuída pelo diabo. No diálogo, o “demônio” afirma ser da Igreja Mundial de Valdemiro e solta o verbo:

- Valdemiro é meu servo (…). Todos que estão lá dentro estão no pecado; se prostituindo; fumando. Muitas mulheres estão destruídas, (…) os homens traindo as mulheres.

Macedo, portanto, mostrou que sentiu o golpe e partiu para o confronto direto contra o concorrente. A briga promete.



Agora, um novo vídeo colocado ontem no YouTube mostra novamente uma mulher exorcizada afirmando que tirou pessoas da Universal e levou para o templo da Igreja Mundial de Valdemiro

Na semana passada, Valdemiro, que tem roubado ao longo dos anos milhares de fiéis da concorrente, já havia se manifestado sobre a ofensiva da Universal:
- Estão apelando demais, tudo bem que eles estão desesperados porque não tem mais povo para arrancar dinheiro.
Por Lauro Jardim

Macedo versus Valdemiro, parte 2



Em outro vídeo (abaixo) a poucos dias atras, Bispo Macedo entrevistou um demônio manifestado em uma mulher, que revelou “segredos” de Apóstolo Valdemiro e de seu ministério.
O demônio “afirma” que o apóstolo é seu servo, e diz que o choro dele são emoções provocadas por ele (diabo). O “bicho ruim” ainda conta sobre as brigas de Valdemiro e sua esposa, e revela sobre a vontade da mulher vir para Igreja Universal.
O espetáculo circense tem a duração de 10 minutos e vale a pena conferir, pois é divertimento garantido(veja o Primeiro vídeo)

O que os pastores fizeram com a casa de Deus?
Não está escrito: A minha casa será chamada por todas as nações casa de oração. Mas vós a tendes feito COVIL DE LADRÕES. Marcos 11:17.

Que tipo de líderes religiosos profetizou Jesus que surgiriam?
E surgirão muitos FALSOS PROFETAS, e enganarão a MUITOS. Mateus 24:11.
Porque MUITOS virão em MEU NOME, dizendo: Eu sou o CRISTO; e ENGANARÃO a MUITOS. Mateus 24:5.

MUITOS me dirão naquele dia (o dia do acerto de contas): SENHOR, SENHOR, não PROFETIZAMOS nós em TEU NOME? e em TEU NOME não EXPULSAMOS demônios? e em TEU NOME não fizemos MUITAS MARAVILHAS? E então lhes direi abertamente: NUNCA VOS CONHECÍ; APARTAI-VOS DE MIM, vós que praticais a INIQUIDADE. Mateus 7:22,23.

AS RELIGIÕES E AS IGREJAS NÃO ESTÃO EDIFICADAS EM CRISTO, ELAS ESTÃO EDIFICADAS NO DÍZIMO.
SE TIRARMOS O DÍZIMO DE DENTRO DELAS ELAS FECHAM AS PORTAS. JESUS NÃO RECEBIA DÍZIMO, SUA IGREJA INDIVIDUAL NÃO TEM DIZIMO, E NÃO PRECISA PAGAR OU RECEBER DIZIMOS.

Conforme Jesus, onde deve ser o TEMPLO, O LOCAL DE ADORAÇÃO E UNIÃO COM DEUS? Em Jerusalém? Na igreja tal?
Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que em Jerusalém é o lugar onde se deve adorar. Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me, a hora vem, em que nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não conheceis; nós adoramos o que conhecemos; porque a salvação vem dos judeus. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. João 4:20-23

Obs. – Por esta razão JESUS CRISTO resolveu derrubar, acabar com a igreja (denominação ), e edificou o nosso corpo, o nosso espírito como o verdadeiro TEMPLO DE DEUS ( I Coríntios 6:19).

Hoje, no Reino de DEUS, debaixo do AMOR E DA GRAÇA DE DEUS o lugar pra adorarmos a DEUS é no nosso espírito, de dentro para fora, INDIVIDUALMENTE COM DEUS

JESUS DERRUBOU A IGREJA DENOMINACIONAL E CONSTRUIU A INDIVIDUAL
Eu derribarei este templo construído por mãos de homens, e em três dias edificarei outro, não feito por mãos de homens. Marcos 14:58.
Derribarei este TEMPLO, e em TRÊS DIAS O LEVANTAREI. João 2:19.
Quanto à igreja denominacional Jesus diz: JESUS, porém, lhes disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derribada. Mateus 24:1,2.

Os incautos e incrédulos acham que JESUS está falando de derribar as paredes, o teto, a construção do TEMPLO; JESUS está afirmando que ELE acabaria com um lugar determinado para orarmos e adorarmos a DEUS. João 4:23,24. Quando JESUS CRISTO morreu e ressuscitou, no seu corpo, ELE destruiu o velho TEMPLO, e edificou o nosso corpo e o nosso espírito como O NOVO TEMPLO, A NOVA MORADA DE DEUS. João 2:19.

DIZ PAULO: …EIS QUE TUDO SE FEZ NOVO. II Coríntios 5:17.
DIZ JESUS CRISTO: EIS QUE FAÇO NOVAS TODAS AS COISAS. Apocalipse 21:5.
ATOS 6:14. DIZ: …JESUS NAZARENO há de DESTRUIR este LUGAR ( O TEMPLO ) e mudar os costumes ( A LEI ) que Moisés nos deu. Atos 6:14.
Obs. – INCRIVEL! AGINDO DEUS…QUEM O IMPEDIRÁ. DEUS Destruiu A IGREJA DENOMINACIONAL ( Marcos 14:58 e Atos 6:14) .

CRISTO destruiu o TEMPLO ( igreja, denominação ) feito por mãos de homens, e já EDIFICOU o novo templo, a nova IGREJA que é o nosso CORPO, O NOSSO ESPÍRITO como o TEMPLO DO ESPÍRITO DE CRISTO, a verdadeira morada de DEUS. Atos 7:48, II Coríntios 6:16, I Coríntios 3:16.

1 Coríntios 3:17 "Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo."

2 Coríntios 6:16 "E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo."

Lord Malagoli


Você caro leitor entendeu? O templo de Deus O Pai sóis vós, o seu coração, o seu ser, Deus é espírito e não habita em templos de pedra.


Eles querem o seu dinheiro, os seus dízimos e ofertas, enriquecem as suas custas. Pare de crer que o Deus do antigo testamento é o verdadeiro, já falei sobre isso aqui no blog.




O livro do profeta Malaquias foi escrito especificamente para o povo de Israel. Sua mensagem profética tem a sua razão e o seu lugar próprio no tempo, e no espaço

“Sentença pronunciada pelo Senhor contra Israel, por intermédio de Malaquias.” (Ml 1.1) “Assentar-se-á como derretedor e purificador de prata; purificará os filhos de Levi e os refinará como ouro e como prata; eles trarão ao Senhor justas ofertas. Então, a oferta de Judá e de Jerusalém será agradável ao SENHOR, como nos dias antigos e como nos primeiros anos.” (Ml 3.3)

“Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso, vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos.” (Ml 3.6)

Os que se utilizam de Ml 3.10, acabam por incorrer na alegorese, ou seja, no abuso de uma interpretação fundamentada na escola alegórica.

“Quem alegoriza fala ou escreve sobre alguma coisa por intermédio de outra, procurando desvendar sentidos simbólicos, espirituais ou ocultos. [...] De acordo com o método alegórico, o sentido literal e histórico das Escrituras é completamente desprezado, e cada palavra e acontecimento são transformados em alegoria de algum tipo, a fim de escapar de dificuldades teológicas ou para sustentar certas crenças estranhas e alheias ao texto bíblico. Assim, não interpreta o texto bíblico, mas perverte o verdadeiro sentido deles, embora sob o pretexto de buscar um sentido mais profundo ou mais espiritual” (Idem, 2003, p. 124)

O uso claro de alegorese em Ml 3.10, é afirmar que a “casa do tesouro” e a “minha casa”, citadas no texto se aplicam aos templos cristãos. É equivocado também declarar, que as maldições ali citadas, virão também sobre os crentes. Vale lembrar as palavras de Paulo em Atos 17.24 “O Deus que fez o mundo e tudo o que nele existe, sendo ele Senhor do céu e da terra, não habita em santuários feitos por mãos humanas.”
Muitos se utilizam do texto de Ml 3.7-11, tirando-o do seu contexto, para colocar a “faca no pescoço dos simples”, amedrontando-os com maldições ou acusando-os de ladrões, no que diz respeito a prática do dízimo. Volto a declarar que a Bíblia não deve ser interpretada segundo as nossas conveniências.

Essa história de pegar o versículo de Malaquias e usar para arrecadar fundos supostamente para a caso do Senhor é coisa do capeta. DEUS É ESPIRITO, NÃO PRECISA DO SEU DINHEIRO.ATÉ QUANDO VAMOS TER QUE AVISAR O POVO QUE : O TEMPLO DE DEUS SÓIS VÓS, E QUE DEUS QUE É AMOR NÃO HABITA EM TEMPLOS DE PEDRA? ATÉ QUANDO?

SAI DESSA BABILÔNIA POVO MEU.



Célio Siqueira

Escândalo da Google com Safari e IE ensina que não existe privacidade


A gigante de buscas pode ter passado do ponto ao driblar controles de segurança de navegadores, mas não será a primeira nem a última a fazer isso.

A Google está em maus lençóis por ter driblado os controles de privacidade do navegador Safari, da Apple, em aparelhos iOS – e supostamente ter feito o mesmo no Internet Explorer – para rastrear secretamente s atividades online dos usuários. Enquanto a Google lida com as críticas e a análise reguladora da Comissão Federal de Comércio dos EUA (FTC), há uma lição importante a ser aprendida: a privacidade morreu.

Não estou sugerindo que está tudo bem para a Google, ou qualquer outra empresa, burlar intencionalmente controles de privacidade para acessar informações que os usuários especificaram que não deveriam ser compartilhadas. Mas você deve saber que você, na verdade, não tem o “direito” a privacidade, e que mesmo que tivesse, esse barco provavelmente já foi embora.

Seu “direito” à privacidade

Esse é o caso: você não tem, na verdade, um “direito” à privacidade. A 14ª emenda da Constituição dos EUA é normalmente citada graças a um precedente estabelecido quando o juiz Louis Brandeis afirmou que ela protege o “direito de ser deixado em paz”. No entanto, é preciso algumas acrobacias da razão para chegar a conclusão de que ela inerentemente protege a privacidade.
A 1ª, a 4ª, e a 5ª emendas algumas vezes também são citadas para suportar o direito percebido de privacidade. Mas a realidade é que a melhor chance para proteção de privacidade provavelmente cai na 10ª emenda – que garante autoridade aos estados individuais para quaisquer poderes não delegados especificamente ao governo federal. Então, é possível que seu estado em particular tenha meios para assegurar a privacidade.

Também existem exemplos de privacidade – ou ao menos a proteção de informações sensíveis – sendo legislados em um nível mais granular dependendo da indústria. O Ato de Privacidade de 1974 evita a revelação não autorizada de informações pessoais em poder do governo federal. O ato Fair Credit Reporting protege informações reunidas por agência de relatórios de crédito. E o ato Children's Online Privacy Protection garante autoridade aos pais sobre quais informações sobre seus filhos e filhas (até 13 anos de idade) podem ser coletadas por sites.

Existem vários mandados regulatórios e em cumprimento com a indústria que exigem que organizações afetadas tomem medidas adequadas para proteger dados sensíveis. Os atos Sarbane-Oxley (SOX), Health Insurance Portability and Accountability Act (HIPAA), Gramm-Leach-Bliley Act (GLBA), e Payment Card Industry Data Security Standards (PCI-DSS), todos possuem estipulações que obrigam as empresas a protegerem dados, e impor multas e penalidades para quem falhar em cumpri-las.
Tudo isso sugere que a privacidade é um problema importante, e que há uma expectativa da sociedade por privacidade. Apenas lembre-se de que sua privacidade não está realmente garantida.


IDG Now

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Irã busca aumentar atividade nuclear em bunker, dizem diplomatas

VIENA, 23 Fev (Reuters) - Estima-se que o Irã esteja realizando preparativos para expandir sua atividade nuclear dentro de uma montanha, disseram diplomatas, em mais um sinal de desafio frente à pressão crescente do Ocidente para suspender sua iniciativa de enriquecimento de urânio.

Elevar a capacidade na instalação subterrânea de Fordow provavelmente iria aumentar a suspeita ocidental sobre as intenções do Irã, depois que no mês passado o país começou a refinar urânio ali para um nível que reduz o tempo necessário para a construção de uma arma nuclear.

Uma equipe sênior da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) não conseguiu novamente nesta semana fazer com que o Estado islâmico tratasse de suas preocupações crescentes sobre seu trabalho nuclear e voltou de mãos vazias para Viena, após dois dias de conversas no Irã.

O revés aumentou os temores de uma espiral decrescente para o conflito entre a República Islâmica e o Ocidente, e fez com que os preços do petróleo subissem para o nível mais alto em nove meses.

A agência da ONU agora está dando os retoques finais em seu próximo relatório sobre o Irã, que deve incluir informações sobre as conversas com Teerã e mais detalhes sobre o status da instalação de Fordow, perto da cidade de Qom, que é sagrada para os muçulmanos xiitas.

"Acho que veremos um salto no estado de prontidão potencial da instalação", disse um enviado de Viena.

Fordow é uma preocupação especial do Ocidente e de Israel porque o Irã está mudando o aspecto mais polêmico de seu trabalho nuclear -refinar urânio para um nível que o deixe significantemente mais perto do material para uma bomba- para a instalação.

Supostamente situada a 80 metros de profundidade no meio de rochas e solo, a instalação dá ao Irã melhor proteção contra ataques israelenses ou norte-americanos.

O ministro da Defesa israelense, Ehud Barak, advertiu que a pesquisa nuclear do Estado islâmico em breve poderia passar o que ele chamou de "zona de imunidade", protegida da interrupção externa.

Em um relatório divulgado nesta quinta-feira, o grupo International Crisis Group disse que as chances de um confronto militar sobre a disputa nuclear, embora ainda fossem improváveis, pareciam "maiores do que nunca".

"Como Israel o vê, o programa nuclear representa uma ameaça grave; a hora em que os supostos esforços do Irã de construir uma bomba se tornam imunes a um ataque está se aproximando rapidamente e a ação militar no futuro próximo -talvez ainda neste ano- é, portanto, uma possibilidade real", dizia.

Uma autoridade ocidental disse que Fordow era uma questão muito delicada: "Não tenho certeza se os iranianos entendem que estão brincando com fogo ali".

No mês passado, o Irã disse que havia começado a refinar urânio em Fordow para uma concentração físsil de 20 por cento, em comparação com os 3,5 por cento normalmente usados em usinas de energia nuclear.

Logo depois, dobrou a capacidade de produção para um total de mais de 600 centrífugas de enriquecimento de urânio em Fordow, disseram diplomatas à Reuters.

Reuters BR

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Após tensão, Brasil fará exigência para espanhóis que queiram entrar no país

Em pouco mais de um mês, os espanhóis que desembarcarem no Brasil serão submetidos a uma rígida lista de exigências, fixada pelo governo, para conseguir a autorização de entrada no país.

Procedimento semelhante ocorre na Espanha em relação aos brasileiros que chegam. O Ministério das Relações Exteriores informou que a decisão é baseada no chamado princípio diplomático da adoção de reciprocidade.

A medida ocorre no mesmo momento em que brasileiros são impedidos de entrar na Espanha se não cumprirem uma série de requisitos fixados pelas autoridades.

Só em 2007, em um mês, cerca de 250 brasileiros foram barrados em aeroportos espanhóis. A decisão sobre a entrada no Brasil deve passar a valer a partir do dia 2 de abril.

O Itamaraty nega que a medida seja uma retaliação às humilhações sofridas por brasileiros na Espanha, que relatam casos de discriminação e preconceito, além de serem impedidos de se comunicar com autoridades brasileiras.

Pelas novas regras, os espanhóis que quiserem entrar no Brasil terão de estar com o passaporte válido por, no mínimo, seis meses.

Também serão exigidos dos espanhóis os comprovantes de passagens de ida e volta. O espanhol que for se hospedar em hotel deverá apresentar o documento de reserva.

Caso venha a se hospedar em casa de amigos ou parentes terá de apresentar uma carta-convite. O documento deve conter a assinatura do responsável pela residência na qual o espanhol ficará e um comprovante de residência dessa pessoa.

O último item se refere à renda mínima do espanhol que pretende visitar o Brasil. Ele deve comprovar que tem condições financeiras para arcar com até R$ 170 de despesas por dia em território brasileiro.

Em junho do ano passado, o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, esteve no Congresso Nacional, quando conversou com os parlamentares sobre as constantes queixas dos brasileiros impedidos de entrar na Espanha.

Patriota disse ter conversado com a chanceler espanhola, Trinidad Jiménez, lembrando que poderia ser adotado o chamado acordo de reciprocidade.

Na ocasião, Patriota disse ainda que o número de brasileiros na Espanha tem diminuído a cada mês em decorrência do aumento do desemprego no país. No Brasil, porém, ocorre o contrário. Segundo ele, o número de espanhóis em território brasileiro é cada vez maior.

UOL

Astrônomos identificam novo planeta repleto de água

Diâmetro do GJ 1214b é quase três vezes maior que o da Terra

Usando o Telescópio Espacial Hubble, astrônomos identificaram um novo tipo de planeta – um mundo repleto de água.

"O GJ 1214b é diferente de tudo o que conhecemos”, disse Zachory Berta, do the Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics (CfA). “Grande parte de sua massa é composta por água”.

Descoberto originalmente em 2009, o GJ 1214b tem um diâmetro quase três vezes maior que o da Terra e é sete vezes mais pesado. Ele orbita uma estrela anã vermelha e tem uma temperatura de 230 graus Celsius.

Mas até agora, sua composição era desconhecida.

A equipe de astrônomos usou a Wide Field Camera 3 do Hubble para estudar o GJ 1214b enquanto ele passava na frente de sua estrela. Eles também analisaram a luz da estrela enquanto ela era filtrada pela atmosfera do planeta. Com isso os astrônomos descobriram que o GJ 1214b possui uma atmosfera densa e repleta de vapor de água.

Dados sobre a massa e tamanho do planeta mostram que ele possui uma densidade de cerca de dois gramas por centímetro cúbico – menos da metade da densidade da Terra. Com a densidade da água sendo de um grama por centímetro cúbico, isto indica que o GJ 1214b tem muito mais água do que a Terra.

Como resultado, a estrutura interna do GJ 1214b deve ser muito diferente da estrutura de nosso planeta, disse Berta.

O GJ 1214b está localizado na constelação de Ophiuchus, a 40 anos-luz da Terra.

Baboo

Acesso Secreto Ufos - Provas Cientificas e Factuais

Mais uma vez o The History Channel nos apresenta um documentário sério e esclarecedor sobre Ufos e os extraterrestres.

Nesse uma jornalista de grande credibilidade reúne um numero enorme de evidencias que provam sem sombra de duvidas, que os extraterrestres existem, que há evidencias cientificas e históricas, e para tanto ela convocou cientistas, militares, pilotos de avião, políticos para que estes venham na frente das comeras e digam o que sabem.

Então é com muito orgulho que o Canal Sete Antigos apresenta mais esse excelente documentário que apresenta evidencias claras, sobre uma verdade sempre negada.

Nome em Inglês: Secret Access - Ufos on The Record