terça-feira, 30 de junho de 2015

Brasil irá comprar sistemas russos de defesa antiaérea Pantsir na primeira metade de 2016

Pantsir-S1 transportado por um 8x8 chassi Kamaz-6560
O Brasil planeja comprar os sistemas russos de defesa antiaérea Pantsir na primeira metade de 2016, disse à RIA Novosti e Sputnik o embaixador do país na Rússia, Antônio José Vallim Guerreiro.


“A decisão geral sobre a compra foi já tomada, por isso os sistemas serão comprados. Segundo a informação que eu possuo neste momento, a assinatura do acordo está prevista para a primeira metade do ano 2016”, disse em entrevista. 

Antônio Guerreiro tinha declarado anteriormente que o arranjo podia ser concluído ainda em 2015, mas agora ele explicou o atraso pela razão que “no orçamento de 2015 não foram alocados recursos financeiros suficientes para pagar pelos armamentos”.  

O embaixador acrescentou que, neste momento, realiza-se o trabalho para que a provisão correspondente seja incluída na meta orçamentária de 2016. 
O Pantsir-S1 (SA-22 Greyhound na classificação da OTAN) é um sofisticado sistema de artilharia antiaérea que conta com mísseis terra-ar de curto e médio alcance, sendo considerado um dos mais avançados do mundo. 

Além disso, Antônio Guerreiro também não exclui a possibilidade de compra de caças russos se a Força Aérea Brasileira achar este passo útil.

Bombardeiros russos terão sistema de navegação por estrelas

Tu-160
As aeronaves da aviação estratégica russa, inclusive os bombardeiros Tu-160, utilizarão um sistema de navegação por estrelas, comunicou o consórcio de Tecnologias Radioeletrônicas (KRET, na sigla em russo).

"O sistema de astronavegação ANS-2009 permite determinar com grande exatidão as coordenadas do avião utilizando dados sobre a posição das estrelas", diz o texto. A partir desses dados, o sistema de cálculo determinará as coordenadas geográficas e a rota a ser seguida pelo avião.

O vice-diretor geral do consórcio, Vladimir Mikheev, comentou que é um método "extremamente seguro em condições de guerra, quando o inimigo pode alterar o funcionamento dos satélites de navegação."

O KRET desenvolve e produz equipamentos radioeletrônicos para aviação civil e militar, radares de bordo, identificadores amigo-inimigo, sistemas para guerra eletrônica e instrumentos de medição de uso variado.

Criado em 2009, o grupo KRET forma parte da corporação estatal Roster (Tecnologias da Rússia) e aglutina mais de uma centena de centros de pesquisa e escritórios de design em 29 regiões do país.


http://br.sputniknews.com/defesa/20150629/1431099.html#ixzz3eZutUTQi

Enorme UFO ( NAVE MÃE ) Capturado em Foto nas Nuvens Acima de Georgia

Uma enorme UFO ( NAVE MÃE ) foi recentemente capturado em foto acima Adrian, Georgia, que até o momento não foi desmascarado e dos olhares da filmagem parece extremamente difícil negar isso!
Há mais e mais convincentes imagens de UFOs todos os dias e avistamentos em todo o mundo.
O que também ajuda a ganhar a prova e aceitação de extraterrestres que nos visitam, o fato de que a maioria das pessoas tem uma câmera de alta qualidade sobre eles com o seu aparelho smartphone! Daí esta imagem particular é muito muito clara e em HD.
Não tem como negar este avistamento.

                                              Veja o Vídeo Abaixo:


                                        Fonte:Mister Enigma


EXTRATERRESTRES ONLINE

Turquia e Jordânia dizem estar se preparando para impor zonas-tampão dentro da Síria. Apoio aéreo israelense é debatido. Putin faz novas advertências

Os exércitos turcos e jordanianos foram notificados em 30 de Junho para estarem  preparados para atravessar para a Síria, pela primeira vez desde que a guerra tomou conta desse país em 2011, e criar a força zonas tampão de segurança. Ambos são impelidos a combater ISIS, se opor ao regime Assad e ansiosamente para conter o fluxo de refugiados, mas também há diferenças em seus objetivos e não está claro se eles são coordenados.Turquia preparou 18 mil soldados para patrulhar  uma zona tampão no norte da Síria e usar sua força aérea para impor uma zona de exclusão aérea contra voos da Síria. Fontes do Oriente Médio relatam que o exército jordaniano também está  pronto para atravessar para o sul da Síria. 

Jordânia e Israel são relatados para estar planejando cobertura aérea conjunta e a criação de uma zona de exclusão aérea paralela no sul.Estas preparações levam o presidente russo Vladimir Putin para prometer seu apoio militar ao regime de Assad .Na segunda-feira, 29 de  junho , Putin convocou o  ministro das Relações Exteriores da Síria, Walid al-Moallem ao seu escritório no Kremlin para uma reunião com o chanceler russo, Sergey Lavrov para dizer-lhe que a Rússia  " politicamente estará em apoio à Síria, a liderança síria e ao povo sírio  e permanece inalterada. "Putin advertiu repetidamente os governos ocidentais contra a intervenção militar na guerra síria ou qualquer tentativa de derrubar Bashar Assad, advertindo que, se as tropas estrangeiras vão para a Síria, Moscou irá responder na mesma moeda.Os russos não tem descrito  que ação é contemplada, mas eles têm opções: 

-eles mantêm forças navais e marítimas nas regiões do Mediterrâneo e do Mar Negro susceptíveis de atingir a Síria a curto prazo. Bases da força aérea russas do Sul também estão perto o suficiente para interferir com  as zonas de exclusão aérea, sendo instaladas na Síria. Possível intervenção militar externa na Síria foi o tema dominante no telefonema, o presidente russo encaminhou para o presidente Barack Obama em 26 de junho.  Os comunicados em Moscow e Washington, tanto que se referem à "situação perigosa" na Síria. Os dois presidentes também discutiram as perspectivas de o acordo nuclear com o Irã preparando-se, e as duas questões podem ter sido ligadas. A Casa Branca declarou mais tarde que o presidente Obama tinha sublinhado a necessidade de as potências mundiais para segurar a uma posição unida nas negociações com o Irã.Fontes em Ancara afirmam que o presidente Recep Tayyip Erdogan já deu as  unidades turcos suas ordens de irem para a Síria, embora isto não é confirmado.

Outros usam o termo "intervenção ocidental" - sugerindo que EUA e a OTAN estão envolvidos na iniciativa turca. Isto pode referir-se a esquadrões da Força Aérea dos Estados Unidos com base no sul da Turquia, possivelmente, fornecendo cobertura aérea. Fontes ocidentais e do Oriente Médio relatam que o plano jordaniano implica uma operação conjunta com as forças rebeldes sírias para esculpir uma zona de segurança no sul da Síria de Jabal drusos e Suwayda no leste a oeste em execução através da cidade de Deraa e até a interseção da fronteiras da Jordânia-Síria-israelense.Intensos combates tem sido travados nesta parte da Síria nos últimos dias como os rebeldes a  combater as forças do Hezbollah-Síria em uma tentativa de empurrá-los para fora e capturar sul da Síria. Até agora eles não fizeram isso.

O problema interminável de refugiados da Síria é uma grande dor de cabeça para os dois governos. Turquia abriga cerca de dois milhões de refugiados e Jordan mais de um milhão e meio. Decorrentes este fluxo não é o menor dos objetivos de seus planos de zona tampão.


UND2

Exercício JADE HELM e os rumores sobre um Asteróide

Como JADE HELM 15 correlaciona-se com rumores de um potencial  asteróide


Rumores na Internet falam de um asteróide iminente que foi dito terá lugar no final de setembro entre os dias 22 e 28, atingindo em algum lugar perto de Porto Rico, no Oceano Atlântico. Embora os rumores realmentesão apenas isso - rumores, alguns ainda estão em causa.
asteroid strike
A resposta da NASA
Na verdade NASA foi mesmo forçada a responder às alegações recentes de Internet e emitiu uma declaração dizendo:

"A NASA não conhece nenhum asteróide ou cometa atualmente em rota de colisão com a Terra, então a probabilidade de uma grande colisão é muito pequena.

"Na verdade, o melhor que podemos dizer, sem objeto grande é susceptível de atingir a Terra a qualquer momento nos próximos cem anos."


 Alguns teóricos da conspiração acreditam que os governos-d o mundo já estão cientes de um ataque iminente, que muito possivelmente poderá desencadear um "ELE" (Evento em nível de extinção ) e atualmente estão escondendo as informações da população.

Curiosamente e a complementaridade com esta vemos que os russos têm vindo a acompanhar de perto vários objetos ao longo do ano passado ou assim que estão indo em direção à Terra. Se o objeto desviar sua trajetória bastante, enquanto passa pelos poços de gravidade de outros planetas em nosso sistema, eles poderiam atingir a Terra no futuro, como relatado por RT no início deste ano.
No entanto, infelizmente, qualquer maneira você cortá-lo, somos desafiadoramente vencidos há um asteróide na Terra.Além disso, gostaria de mencionar que uma das minhas conexões militares, estacionados no Havaí, disse-me que o Governo dos EUA tem derrubado tantos asteróides ao longo dos últimos anos que o planeta já teria sido impactado mais de 10 vezes sem a tecnologia. Enquanto eu não posso verificar as declarações da minha fonte para ser verdadeiraa, é importante notar aqui e agora.Mas ainda mais chocante é o fato de que a NASA recentemente se uniu com a Administração Nacional de Segurança Nuclear no esforço para lançar um enorme míssil nuclear anti asteróide de defesa / campanha de deflexão, que agora foi anunciado publicamente, o mais rapidamente possível.

Possível ligação a JADE LEME 15Para inicializar também é importante salientar que, se você desenhar uma linha diretamente da zona de impacto de um asteróide perto dito "Puerto Rico" diretamente através do centro do original JADE HELM indica uma trajetória de vôo potencial, impacto faixa emerge. Enquanto tudo isso é apenas especulação neste momento, vamos registrar isto aqui e agora como uma possibilidade.

O que FEMA e DHS estão se preparando para?Nós também temos que nos perguntar o que FEMA e do Departamento de Segurança Interna foram se preparando para, a compra de milhões de dólares de refeições prontas para comer, água e suprimentos, juntamente com milhares de milhões de cartuchos de munição para uso interno.

Então, por que o aviso estranho NASA?

http://www.pakalertpress.com

UND2

Turquia tem planos para invadir a Síria para lutar contra curdos

  Liderança Militar Opõe-se a  mover, mas enfrenta uma crescente pressão para agir


 Na sexta-feira, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan emitiu outro discurso anti-curdo vociferante, prometendo  que Turquia nunca permitirá que o YPG para estabelecer um estado independente no noroeste da Síria. Desde então,os relatórios são emergentes que Erdogan ordenou o exército turco a enviar tropas para a Síria para lutar contra os curdos.

Se for verdade, o movimento seria extremamente controverso, como o YPG curdo está sendo abertamente apoiado por  EUA em suas lutas contra ISIS.  Tendo Turquia, aliado com os EUA, atacando o YPG e tentando conquistar uma "zona tampão" do território curdo será visto como reforçando ISIS.

  A verdadeira oposição é susceptível de vir do próprio exército turco, no entanto, e há relatos de que o general Ozel, o Chefe do Estado-Maior militar turco, tem atrasado diretivas anteriores para intervir na Síria , citando dúvidas sobre direito internacional.O governo Erdogan tem feito lobby fortemente desde então, tentando convencê-lo a estar a bordo para a invasão.

  Política turca contra Síria foi construída em torno de hostilidade contra os curdos, desde o início, apoiando a rebelião na Síria contra o ex-aliado Assad na esperança de que um governo nacionalista árabe sunita iria conter os separatistas curdos no ambições melhores. Esta falha, criando um estado curdo de fato, no noroeste, e duas facções islamitas ao longo da fronteira com a Turquia, bem.

Erdogan, ao que parece, não aprendeu com seus erros, e está tentando agir em movimento na esperança de enfraquecer os curdos novamente.  O YPG tem laços com grupos curdos turcos que são consideradas organizações terroristas, então não é surpreendente que a Turquia está alarmada com o seu crescimento.

  Mas as autoridades turcas estão tentando girar isso como apoio ao rebelde Exército Livre da Síria (FSA), uma facção rebelde secular abertamente aliada ao YPG e contra ISIS, e o movimento é, inevitavelmente, vai beneficiar ISIS, somando-se as queixas de que a política turca é de fato pró-ISIS.
 
http://news.antiwar.com
 
UND2

As intenções da Turquia na Síria:Erdoğan diz que a Turquia não permitir Estado curdo no norte da Síria

Erdoğan diz que a Turquia não permitir Estado curdo no norte da Síria
Presidente da Turquia, Erdogan faz um discurso durante uma cerimônia de formatura em Ancara, 11 de junho de 2015. (Foto: Reuters, Ümit Bektaş)

O presidente turco, Recep Tayyip Erdoğan disse que seu país não permitirá o estabelecimento de um Estado independente no norte da Síria, mais uma vez expressando preocupações de uma região autônoma curda da Turquia que está sendo formada no vazio deixado pela Islâmico do Iraque e do Levante (ISIL) no região.

"Eu estou apelando para o mundo inteiro.  Nós nunca permitiremos o estabelecimento de um estado no norte da Síria e no nosso sul.  Vamos continuar a nossa luta, a este respeito, não importa o que custa. Eles querem concluir a operação para mudar a estrutura demográfica da região. Nós não vamos fechar os olhos para isso ", disse Erdogan durante um jantar fast-breaking hospedado por Kızılay (Crescente Vermelho turco) na sexta-feira.

Turquia, um país com sua própria minoria curda considerável, é desconfortável com os ganhos obtidos pela milícia curda na Síria, temendo que isso poderia inflamar sentimento separatista entre a sua própria população curda.

Ancara tem frequentemente manifestado preocupação com o domínio do Popular curdos apoiados pelos Estados Unidos Proteção Units (YPG) no norte da Síria. Ele acusa a milícia curda de deliberadamente tentar uma limpeza étnica da área em uma tentativa de alterar o equilíbrio demográfico da região em favor dos curdos .

Erdoğan anteriormente manifestaram preocupação com o domínio YPG na região, apontando que os curdos estavam tomando áreas a partir do qual os árabes e turcomanos estavam sendo deslocadas à força. Erdoğan acusou o Ocidente de apoiar o que ele chamou de terroristas curdos e disse que o resultado poderia eventualmente ameaçar fronteira da Turquia.

Apoiado por forças aéreas da coalizão global anti-ISIL, a YPG teve ganhos rápidos e empurrou para trás ISIL após meses de combates pesados ​​na luta para defender Kobani - outra cidade impugnada na fronteira turco-síria.  A retenção de Kobani foi visto como uma virada na maré contra ISIL. Turquia foi obrigada a absorver mais de 150.000 civis durante os confrontos brutais e em torno de Kobani no final de 2014. 

Erdoğan disse em outubro que ela estava errada dos Estados Unidos para o ar-gota suprimentos militares para combatentes curdos que defendem Kobani, como algumas armas foram apreendidos por militantes ISIL que o rodeiam.

http://www.todayszaman.com

UND2

CIA: Torturas e Experimentação humanas

Traduzido por Emerx
Documentos desclassificados expõem como as tentativas da CIA de legitimar o programa de interrogatórios abusivos constituíram, elas mesmas, crimes de outro nível.
 
Participante de simulação de afogamento em frente ao prédio do Departamento de Justiça dos EUA em 2007. (Foto: Kevin Lamarque/Reuters)
É sabido que a CIA (Central Intelligence Agency) foi autorizada a torturar suspeitos de terrorismo depois do ataque de 11/9/2001.

Novos documentos publicados mostram outro programa de transgressões que constituiu brutal violação da ética médica. Autorizou a agência a conduzir atos análogos a “experimentação humana” sobre pessoas que se tornaram objetos de experiência sem seu consentimento.
A tortura foi o primeiro crime. O segundo crime foi a pesquisa sem consentimento para dizer que aquilo não era tortura — disse Nathaniel Raymond, Harvard University.

Reportadas exclusivamente por The Guardian na segunda-feira (15/6/2015), partes de um documento desclassificado da CIA —obtido em primeira mão pela ACLU (American Civil Liberties Union – União Americana pelas Liberdades Civis) — revelam que uma política de longa data contra o uso sem consentimento das pessoas em pesquisas médicas ou científicas permaneceu em vigor e estava sob a alçada do diretor da agência na época em que a CIA começou a jogar pessoas contra paredes, espancá-las, expô-las a prolongados períodos de privação do sono, submetê-las a repetidas sessões de simulação de afogamento e a praticar outras formas de abuso físico e psicológico.

O documento detalha as diretrizes da agência – estabelecidas primeiramente na presidência de Ronald Reagan e subsequentemente atualizadas — as quais empoderam tanto o diretor da CIA quanto seu conselho consultivo a tomar decisões sobre programas de “pesquisas com seres humanos”.
 
Spencer Ackerman
Como reportou o jornalista Spencer Ackerman:
A parte relevante do documento da CIA, “Lei e Política na Governança da Conduta das Agências de Inteligência”, determina que a agência “não pode patrocinar, contratar ou conduzir pesquisas com seres humanos” fora das normas sobre práticas médicas e humanas responsáveis determinadas pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos para todos os órgãos do governo dos Estados Unidos. A pedra angular destas normas, como observa o documento, é o “consentimento informado da pessoa”.
Trata-se do eco de outra linguagem pública, ainda que obscura, aquela da Ordem Executiva 12333 – documento seminal da era Reagan – definindo os poderes e os limites das agências de inteligência, inclusive as regras de vigilância governamental pela NSA (National Security Agency – Agência Nacional de Segurança).

Mas o livre arbítrio concedido ao diretor da CIA para “aprovar, modificar ou desaprovar todas as propostas pertinentes à pesquisa com seres humanos” não foi tornado previamente público.
Toda a página 41 do documento da CIA se propõe a instruir a agência sobre o que a Ordem Executiva 12333 permite e proíbe, depois da ação legislativa dos anos 1970s, que restringiu os poderes das agências de inteligência em resposta a abusos de conhecimento público – inclusive a velha prática da CIA de fazer experimentos em seres humanos através de programas como o infame projeto MK-Ultra, o qual, entre outras coisas, administrou LSD a participantes sem conhecimento.

A previamente desconhecida sessão das tais diretrizes dá poderes ao diretor da CIA e a seu conselho consultivo para realizar “pesquisas com seres humanos” e para “avaliar toda documentação e certificação pertinentes à pesquisa com seres humanos patrocinada, contratada ou conduzida pela CIA.

Por muito tempo, críticos detonaram todos os membros da comunidade médica que participaram do programa de tortura como traidores de sua ética e de suas obrigações profissionais, mas, com observa The Guardian:
A CIA, que não admite formalmente ter torturado pessoas, insiste em que a presença de pessoal médico garantiu que suas técnicas de tortura fossem aplicadas segundo o rigor médico.
 
Steven Aftergood
Mas Steven Aftergood, estudioso das agências de inteligência da Federação de Cientistas Americanos, disse ao The Guardian que esses homens que foram torturados pela agência estavam sendo, na verdade, estudados por profissionais médicos para ver como eles responderiam a tais tratamentos.

Além do crime inerente a este abuso, as vítimas eram também sujeitos involuntários, que nunca deram seu consentimento para serem estudados daquela forma.
Há uma desconexão entre o requerimento dessa regulação [contida no documento] e a condução do programa de interrogatórios.

Segundo Aftergood, “eles não apresentam uma política consistente”.

E Nathaniel Raymond, ex-investigador de crimes de Guerra da associação Physicians for Human Rights (Médicos pelos Direitos Humanos) e hoje pesquisador da Harvard University’s Humanitarian Initiative (Iniciativa Humanitária da Universidade de Harvard), explica tudo isso nestes termos:
A tortura foi o primeiro crime. O segundo crime foi a pesquisa sem consentimento pra dizer que aquilo não era tortura.
__________________________________________
[*] Jon Queally é editor sênior e escritor; edita o sítio CommonDreams desde 2007 cobrindo política interna, externa, direitos humanos e de animais, alterações climáticas, e muito mais nos EUA. Além de seu papel como o editor de opinião, ele trabalha diariamente sobre a criação, seleção e gestão de conteúdo de notícias.​ 


Oriente Mídia

Piloto de F-35 diz: Ele é incapaz de vencer um F-16 num ‘dogfight’

F-35A (Imagem: USAF)
F-35A (Imagem: USAF)
O F-35A em configuração limpa é incapaz de vencer um F-16D, mesmo este carregando dois tanques subalares.
Um piloto veterano da Força Aérea dos EUA acabar de colocar mais lenha na celeuma que encobre o F-35. Ele levou o jato código AF-02 para o Oceano Pacífico, em janeiro deste ano, para um duelo simulado contra um F-16D. E o que ele descobriu? Que ele teve problemas para derrotar seu adversário usando o novo jato.
Segundo o relato deste piloto, o novo e caro jato ‘stealth’ não pode virar ou subir rápido o suficiente para bater um avião inimigo durante um dogfight ou se esquivar dos tiros do inimigo, disse ele após um dia de combates aéreos simulados.
O F-35 tem desvantagem de energia“, escreveu o piloto num relatório de cinco páginas.
O relatório do piloto de teste é a mais recente evidência de problemas fundamentais com o projeto do F-35, a arma mais cara da história.
F-35A: nariz lento... (Imagem: USAF)
F-35A: nariz lento… (Imagem: USAF)
A Força Aérea dos EUA, a Marinha e os Fuzileiros Navais, para não mencionar as forças aéreas e marinhas de mais de uma dúzia de países aliados dos EUA, estão contando com o JSF Lockheed Martin, fabricados para substituir muitos, se não a maioria de seus caças atuais.
E isso significa que, dentro de algumas décadas, os aviadores americanos e aliados vão voar para a batalha em um caça inferior, um que poderá matá-los e custar a superioridade aérea dos Estados Unidos.
O teste decisivo ocorreu em 14 de janeiro de 2015, aparentemente dentro do programa Sea Test Range, sobre o Oceano Pacífico, perto de Base da Força Aérea de Edwards, na Califórnia. O F-35A com a designação “AF-02″ (um dos mais antigos na Força Aérea) decolou juntamente com biplace F-16D Bloco 40, um dos modelos de aviões da qual o F-35 irá substituir.
Os dois jatos se envolveram num combate simulado, num clássico dogfight, organizado especificamente para testar as capacidades do F-35 num combate corpo-a-corpo. Em outras palavras, o piloto do F-35 iria voar ´para valer’, virando e manobrando a fim de “derrubar” o F-16, cujo piloto estaria fazendo seu melhor para fugir ou matar o F-35.
Segundo o piloto veterano, o F-35A sofreu muito para vencer um F-16D carregando dois enormes tanques subalares... (Imagem: jetphotos.net)
Segundo o piloto veterano, o F-35A sofreu muito para vencer um F-16D carregando dois enormes tanques subalares… (Imagem: jetphotos.net)
A avaliação incidiu sobre a eficácia global das aeronaves na realização de várias manobras especificas em um ambiente dinâmico“, escreveu o piloto de testes nos comandos do F-35. “Esta consistia em manobras tradicionais básicas em configurações ofensivas, defensivas e neutras em altitudes que variam de 10.000 a 30.000 pés.
O F-35 estava voando “limpo”, sem armas em seu compartimento de bombas ou sob suas asas e fuselagem. O F-16, ao contrário, estava transportando dois tanques alijáveis e volumosos, colocando o jato mais velho em uma desvantagem aerodinâmica.
Mas a vantagem do JSF não ajudou. O caça stealth revelou-se demasiado lento para derrotar de forma confiável o velho F-16, mesmo o F-16 com aqueles tanques atuando como verdadeiras âncoras. “Mesmo com a configuração que limitava o F-16, o F-35A permaneceu em desvantagem de energia“, relatou o piloto.
O F-35 tentou atingir o F-16 com o canhão, mas o F-16 facilmente se esquivou. “Em vez de pegar o bandido desprevenido pela ré, a taxa de resposta do aparelho era lenta, permitindo ao oponente se esquivar e sair do alcance da arma“, reclamou o piloto do F-35.
E quando o piloto do F-16 virou o jogo sobre o F-35, manobrando para colocar o caça stealth em sua mira, o piloto do F-35 descobriu que não podia manobrar para sair do caminho, devido a essa “perda de energia”.
(Imagem: flightglobal)
(Imagem: flightglobal)
O piloto do F-35 veio a público e resumiu assim: “Que deus te ajude se tiver de combater olho-no-olho. Você não terá a escolha de engajar ou não.”
Mas o piloto de teste disse que encontrou apenas uma maneira de ganhar um dogfight de curto alcance, através da realização de uma manobra muito específica. “Uma vez estabelecido um alto AoA, uma boa pedalada no leme gerou uma taxa de guinada rápida o suficiente para criar excessivos ângulos de posição com oportunidades para apontar usando mísseis.
Mas há um problema. Esta manobra de deslizamento gera uma perda de energia muito rápida. “A manobra perde muita energia e é uma oportunidade temporária antes de precisar recuperar a energia…e, finalmente, acabar na defensiva novamente.” Em outras palavras, usar o truque uma vez, pois na próxima o F-35 estará sem opções e incapaz de uma fuga rápida.
FONTE: War is Boring – Tradução e edição: CAVOK

Acidente com F-7

Chengdu F-7BGI da Força Aérea de Bangladesh (Imagem: Murad Hashan)
Chengdu F-7BGI da Força Aérea de Bangladesh (Imagem: Murad Hashan)
Um caça F-7 da Força Aérea de Bangladesh caiu ontem (29). O piloto está desaparecido.
O acidente ocorreu durante uma missão de treinamento de rotina.
A Guarda Costeira disse que destroços foram encontrados cinco milhas a oeste da praia de Patenga. (FONTE:BDNews24)
Outro acidente
Um C-130B Hércules da Força Aérea da Indonésia caiu em uma área residencial na cidade de Medan, hoje (30)depois de decolar do aeroporto de MedanPolonia. Pelo menos 49 pessoas morreram, mas o número pode ser maior, podendo passar de 100 vítimas.
Autoridades disseram que o avião mergulhou em uma área urbana da cidade de Medan Sumatra. (FONTE:
Lockheed C-130 Hercules da Indonésia
Lockheed C-130 Hercules da Indonésia

Tradução e edição: CAVOK