quinta-feira, 26 de maio de 2016

França toda fica paralisada com atos de sindicatos


Protestos na França, 26 de maio, 2016
Transportes públicos, usinas nucleares e de refinaria deixaram de funcionar no resultado de mobilizações e protestos contra o projeto das leis do trabalho que acontecem na França hoje (26).
O grau mais forte de dano de manifestações é registado no ocidente do país.
O dia 26 de maio de 2016 fica marcado por uma onda de novos protestos contra as leis do trabalho que abranjam o território de todo o país. Paris, Nantes, Rennes, Marselha-em cada cidade se revelam as consequências de manifestações.


Dès camions bloquent le périphérique porte de saint cloud à Paris
​A região oriental da França é novamente afetada por esta jornada nacional das ações organizadas pelos vários sindicatos franceses: CGT, FO, Solidaires, FSU, Unef, Fidl-Unl, que organizaram os bloqueios nas ruas da cidade de Caen e bloquearam o funcionamento do terminal de ônibus.
Arredores de Havre, as pontes sobre o rio Sena nas cidades de Normandia e de Tancarville estão bloqueadas. Centenas de manifestantes saíram nas ruas, protestando contra a chamada lei El-Khomri, promovida pela ministra do Trabalho, Myriam El-Khomri.


Au  30000 manifestants selon les syndicats, 8000 selon la police 

​Cerca de 300 manifestantes tinham bloqueado a ponte na região de Normandia, bloqueando o tráfego.



Ver imagem no TwitterVer imagem no Twitter

Plus de 300 manifestants bloquent le , circulation coupée dans les deux sens comme hier matin.
Aproximadamente 3 mil manifestantes saíram na autoestrada A20 na cidade de Limoges.


Environ 3000 manifestants entrent sur l'autoroute A20 à Limoges
​Na cidade de Rennes, segundo a informação da prefeitura, cerca de 1.500 pessoas estão participando na marcha contra a lei do trabalho. Cerca de 200 pessoas bloquearam o terminal principal de ônibus.


Des manifestants s'en sont pris à la façade de Ouest France
Mais de 1.000 pessoas manifestantes estão participando nos protestos no sul do país, os representantes do sindicato CGT tinham bloqueado postos de gasolina nas cidades de Ajaccio e de Bastia.


Foram registados também vários incidentes. Um caminhão tentou passar uma barragem ferindo um manifestante.


Un camion fonce sur les manifestants. Un camarade blessé part avec les pompiers mais le poing levé. 
​A mobilização contra a lei do trabalho está acontecendo por mais de um mês e abrange o território do todo o país. Nesta quinta-feira cerca de 128 mil manifestantes (segundo a informação da polícia) e 400 mil (segundo os sindicatos) saíram às ruas.
Manifestações e protestos se transformam em motins em quase todos os lugares: os jovens estão quebrando as janelas de bancos, lojas, departamentos e de empresas de seguros. Polícia responda a essas ações com o uso do gás lacrimogêneo.

Nenhum comentário :

Postar um comentário