terça-feira, 24 de maio de 2016

Mais notícias do governo corrupto brasileiro,Sérgio Machado gravou também Sarney e Renan


Miniatura
Sérgio Machado não gravou apenas Romero Jucá. O ex-presidente da Transpetro na era PT registrou também áudios de Renan Calheiros e José Sarney.
Nestes dois casos os registros foram feitos em conversas privadas que Machado teve com cada um dos dois, separadamente.
Quem teve acesso aos áudios diz que o que foi revelado hoje em relação a Jucá “não é nada” comparado ao que Renan e Sarney disseram.
As gravações foram feitas no âmbito da delação premiada que Sérgio Machado está negociando com a Procuradoria-Geral da República desde março. O acordo com a PGR foi selado na semana passada.
2-Obstrução da justiça? Temer convoca Abin para “apurar” gravações de Renan e Sarney
Configura obstrução da justiça, meritíssimo?
O presidente elogiou “a extrema competência” e a “grande liderança” de Jucá no Senado, motivos pelos quais o fez ministro do Planejamento, mas lamentou que todo o episódio da gravação da conversa de Jucá com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado será combustível para as manifestações anti-governo que ocorrem em diferentes pontos do país.
Conforme o blog apurou junto a assessores diretos de Temer, o presidente recorreu aos órgãos de inteligência do governo _ inclusive à Agência Brasileira de Inteligência (Abin) _para apurar a veracidade da informação de que Sérgio Machado teria gravações comprometedoras também com o presidente do Senado, Renan Calheiros, e com o ex-presidente da República José Sarney.
Os órgãos de inteligência não conseguiram confirmar, mas também não desmentiram categoricamente se há ou não essas gravações. Isso, portanto, deixa uma aura de tensão adicional no palácio do Planalto e no palácio do Jaburu.
3-The Guardian: “trama maquiavélica” por trás do impeachment abala governo interino do Brasil
O jornal britânico The Guardian afirmou que a queda do ministro Romero Jucá e a revelação de uma “trama maquiavélica” para derrubar o governo Dilma Rousseff abalaram a credibilidade do governo de Michel Temer.
“A credibilidade do governo interino foi abalada na segunda-feira quando um ministro foi forçado a se afastar em meio a revelações sobre a trama maquiávelica para levar ao impeachment da presidente Dilma Rousseff”.
O ministro do Planejamento, Romero Jucá (PMDB-RR), se afastou na segunda-feira após a Folha de S.Paulo divulgar áudios em que ele diz que a mudança de governo poderia “estancar a sangria” da Lava Jato.
O Guardian diz que “as motivações dúbias e natureza maquiavélica da trama para retirar Dilma Rousseff do poder ficam aparentes na transcrição da conversa”.

Afirma ainda que este não deve ser o “último golpe” contra Michel Temer, já que seu gabinete inclui “sete ministros implicados na Lava Jato.”
A publicação afirma ainda que o governo interino, até o momento, mostrou “poucos sinais de reduzir a tensão e restaurar a credibilidade” no país.
4-Sérgio Machado, o paranoico com grampos que virou algoz do PMDB
Contam nos corredores da Transpetro que seu ex-presidente Sérgio Machado (Fortaleza, 1946) desconfiava até de quem trazia o cafezinho. Machado sempre preferiu o telefone fixo ao celular e não costumava começar conversas em ambiente nenhum antes de garantir sua privacidade. Ironias do Brasil de hoje, o responsável por gravar às escondidas um encontro com Romero Jucá no qual discutem como parar a “sangria” da Lava Jato, era visto como um “paranoico” quando o tema era a possibilidade de cair num “grampo”.
Desde esta segunda-feira, Machado, que aguarda a homologação da sua delação premiada pelo Supremo Tribunal Federal de acordo com várias publicações, encarna o papel de homem-bomba do PMDB e pode ter usado seu apreço detalhista justamente para planejar gravações. Sua colaboração com a Justiça pode conter informações e áudios capazes de comprometer o presidente do Senado, Renan Calheiros, o ex-ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, o ex-presidente José Sarney e o senador Jader Barbalho. Segundo o jornal Valor Econômico, Machado gravou até mesmo Renan, seu padrinho político e responsável por sua nomeação na Transpetro, além de Sarney. O conjunto é  informação suficiente para espalhar ainda mais ansiedade em Brasília.
Machado, à frente do braço logístico da Petrobras por mais de 11 anos, apareceu na mira dos investigadores após a delação do ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras, Pedro Paulo Costa, que afirmou ter entregue nas mãos do peemedebista meio milhão de reais. As acusações entraram no radar da PricewaterhouseCoopers, auditora das contas da Petrobras desde 2012, que pressionou para a saída da Machado da Transpetro, considerada a maior processadora de gás natural do país.
Machado não aguentou a pressão e se afastou temporariamente em novembro de 2014 –  ele continua renovando sua licença anualmente –, mas qualificou a acusação de “leviana” e “absurda”. Em dezembro de 2015, a Polícia Federal bateu à porta da casa de Machado para cumprir um mandado de busca e apreensão em um dos desdobramentos da Operação Lava-Jato. Segundo a reportagem do jornal O Povo, Machado estava em casa e se negou a liberar a entrada dos agentes que tiveram que chamar um chaveiro para acessar à residência.
(…)
Seis anos atrás, atribuiu-se a ele, num perfil do portal IG, uma frase que dizia: “Quem quer crescer não pode ser a única árvore na floresta”. Hoje, entre outras frases instantaneamente lendárias, resta a que ameaça com derrubar a floresta toda: “Aí fodeu. Aí fodeu para todo mundo. Como montar uma estrutura para evitar que eu desça [à primeira instancia em mãos do juiz Sergio Moro]? Se eu descer…”
5-Até Olavo de Carvalho critica o golpe
Captura de Tela 2016-05-23 às 23.15.37
6-Dilma: gravação de Jucá “escancara o desvio de poder, a fraude e a conspiração”
A presidente Dilma Rousseff comentou, na noite desta segunda-feira (23), durante o 4º Congresso Nacional de Trabalhadoras e Trabalhadores da Agricultura Familiar, em Brasília, a divulgação do áudio da conversa entre o senador Romero Jucá (PMDB) e o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, no qual eles afirmam que o impeachment poderá abafar a operação Lava Jato.
“Se alguém ainda não tinha certeza de que há um golpe em curso, baseado no desvio de poder, na fraude, as declarações fortemente incriminadoras do Jucá sobre os reais motivos do impeachment e sobre quem está por trás dele eliminam qualquer dúvida. Repito: a gravação escancara o desvio de poder, a fraude e a conspiração do processo de impeachment promovido contra uma pessoa inocente, sem nenhum crime de responsabilidade”, afirmou ela.
Dilma ainda diz ter certeza que derrubará o golpe. “Tenho a certeza de que juntos vamos derrubar esse golpe, vamos derrotar os golpistas, vamos juntos fortalecer a democracia nesse país. Nós vamos voltar, de uma forma ou de outra”, disse.
A presidente ainda ressaltou que “desde o início deste processo”, ela tem denunciado o “desvio de poder que está na base do pedido de impeachment”.
7-Caiu a ficha? No Facebook do MBL, seguidores atacam movimento e se dizem “traídos”
Nada contra a nomeação dos ministros investigados de Temer. Nada contra a extinção da CGU. Se o MBL era mesmo anti-corrupção, já era de se esperar um levante contra isso, não é mesmo? Contrariando a máxima da internet de ‘não leia os comentários’ eu decidi encarar esse poço sem fundo para checar se outras pessoas estavam achando estranho tanto quanto eu esse silêncio. E estavam!
Ele também não entende o que está acontecendo.

Ela também não.

Ele é sim um anti petralha de carteirinha, mas não precisa ser trouxa por causa disso.

Ele até ajudou a organizar protestos e agora está tipo: ‘UÉ?’

Respondendo a esses questionamentos o MBL publicou em seu site uma nota sobre a discussão da legitimidade dos ministros investigados. Em um tom defensivo e de justificativa, estranho para um movimento que sempre se mostrou extremamente crítico em relação ao governo, o movimento procura passar a limpo as acusações diferenciando ministros que foram citados em algum momento da operação Lava Jato daqueles que realmente já estão sob investigação da Polícia Federal. No final, termina com o veredito de que está contra a nomeação de apenas dois ministros de Temer. E foi isso. Nem convocação de panelaço nem nada.
Quantos ministros investigados são necessários para se gerar um panelaço?
Tentei entrar em contato com algumas das pessoas que estavam também se questionando sobre a suavidade com que o MBL tratou estas deliberações do governo Temer e tentar entender melhor como estão se sentindo em relação a isso no momento.



Eu nem precisei perguntar muita coisa e a ela já foi abrindo o coração sobre sua decepção com o MBL e ainda citou outros movimentos.





8-Vizinhos de Temer em SP fazem “serenata contra o golpe”
Um grupo de cerca de 50 moradores do bairro de Alto de Pinheiros, na zona oeste de SP, faz uma serenata em frente à casa do peemedebista. O evento, divulgado pelo Facebook, foi chamado de “Serenata dos vizinhos contra o golpe!”. De acordo com a descrição, a organização do ato é de um grupo de moradores “com a ideia de mostrar que no bairro também tem gente contra Temer e contra o golpe”.
A sogra de Temer disse que o neto, Michelzinho, 7, está doente, com febre e que, por causa do protesto, ela não poderia sair de casa para comprar remédios. Pediu que o grupo fosse embora. Um dos manifestantes respondeu dizendo que na periferia tinha um monte de criança doente. Norma fechou a janela e o protesto continuou.
O grupo, que se intitula vizinho do presidente interino, carrega cartazes com os dizeres “O golpe mora ao lado”, “Michel é Cunha” e “Todo apoio ao Povo Sem Medo”. Gritam também “O povo não é pato, o Michel Temer também está na Lava Jato”.
Com violão, sax e instrumento de percussão, pandero, o grupo fez uma versão de “Carinhoso” para protestar contra Temer.
“Meu coração/ Não sei por que/ Tem um infarto quando te vê”, cantam.
Ainda segundo os organizadores, a ideia inicial era fazer uma serenata na porta da casa de Temer, mas depois o ato também foi chamado para mostrar “total apoio aos movimentos sociais que foram expulsos de forma violenta” pela PM.

9-Em ato falho, Globo News fala em “saída de Michel Temer”  


Leilane Neubarth, da Globo News, em ato falho, esqueceu Romero Jucá e mandou essa: “Com a saída de Michel Temer…”.

A solerte Leilane engasgou ao fazer a correção, mas era tarde demais. O pigarro já dura mais de 2 horas.
Captura de Tela 2016-05-23 às 19.15.41
10-Paulo Coelho detona Cristovam Buarque: “Que cinismo. Assuma sua responsabilidade”
Mandou bem o Mago.

Captura de Tela 2016-05-23 às 17.31.20

Um comentário :

  1. ENQUANTO NÃO FIZEREM OBRAS DE CARIDADE COMO JESUS CRISTO FEZ; EM NADA ADIANTARÁ TAIS ENCENAÇÕES POLÍTICAS... TRABALHEM DIREITO. POLÍTICO E JUIZ NO BRASIL TÊM QUE SER IGUAL Á FRANCISCO DE ASSIS: VIDA SIMPLES,COM DINHEIRO APENAS PARA SOBREVIVÊNCIA;O RESTO DO DINHEIRO DÊ PARA OS POBRES!

    ResponderExcluir