terça-feira, 30 de agosto de 2016

Mulher iraquiana mata com um tira comandante ISIS que a manteve como escrava sexual



Uma mulher iraquiana matou a tiros um chefe terrorista ISIS que a forçou à escravidão sexual, tem sido relatado.

A mulher, que se acredita ser uma membra da minoria Yazidi-curdo, matou o comandante do Estado Islâmico sênior conhecido como Abu Anas, de acordo com a rede de televisão por satélite iraquiana Alsumaria News.

O porta-voz do Partido Democrático do Curdistão Saeed Mamouzini disse que o militante foi morto no sábado perto da cidade de Mosul, no Iraque.


Ele forçou a mulher à escravidão sexual e entregou-lhe a seus seguidores depravados como um "presente" , ele disse.

Os yazidis são uma minoria religiosa na Síria e no Iraque que são frequentemente aterrorizados pelo ISIS - um total de 5.270 yazidis foram sequestrados no ano passado, e mais de 3.000 ainda estão em seu controle, de acordo com dados dentro da comunidade.

Alguns lutadores ISIS afirmam que o estupro é parte de sua interpretação distorcida do Islã, de acordo com o testemunho das crianças que foram sequestradas e forçadas à escravidão sexual.

Uma menina de 12 anos de idade, que escapou do grupo disse ao New York Times que o homem que abusou dela explicou-lhe que o ato doentio que ele estava prestes a cometer não era um pecado, porque ela não era muçulmano.

Na verdade, ele afirmou sua fé não só lhe deu o direito de estuprá-la - mas encorajou-lo.

Depois de amarrá-la e amordaçando-la, ele se ajoelhou ao lado da cama e orou. Depois, ele orou novamente.

A menina, que foi entrevistado em um campo de refugiados, disse: "Eu dizia para ele dói - por favor, pare.

"Ele me disse que de acordo com o Islã ele está autorizado a estuprar um descrente. Ele disse que, ao violar-me, ele está chegando mais perto de Deus. "

Fonte: Mirror.co.uk

Um comentário :

  1. Ela é corojoso women iraquiana mulher. Feito bem para ele que foi atirada com revolvar.

    ResponderExcluir