quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Anistia ao caixa 2 racha a bancada do PT na Câmara: Dos 58 deputados, 26 são contra e assinaram nota pública; veja a posição atual de cada um deles


Vários partidos da base governista estão manobrando para incluir no projeto que trata de medidas contra a corrupção a anistia ao caixa 2.
Entre eles, PMDB, PSDB, DEM, PTB, PP, PPS, PR.
O PSOL fechou questão e denunciou a manobra.
O PT rachou.
contra a anistia
Nessa quarta-feira (23/11), 26 dos 58 deputados federais que compõem a bancada do Partido dos Trabalhadores assinaram uma nota pública Contra a corrupção e contra a anistia ao caixa dois.
Diz:

Nós, abaixo-assinados, Deputados Federais pelo Partido dos Trabalhadores, na ocasião em que se debatem as chamadas “Dez Medidas contra a Corrupção”, vimos de público manifestar as seguintes posições:
1. O Partido dos Trabalhadores acumula, na história brasileira, importante legado no combate à corrupção histórica e endêmica ao estado brasileiro. Foram os governos do Partido dos Trabalhadores  que fortaleceram  e equiparam a Polícia Federal, fortaleceram  e reconheceram a autonomia do Ministério Público, estruturaram a Controladoria Geral da União, propuseram medidas legislativas que levaram ao presente enfrentamento de  práticas lesivas e corrosivas da vida pública brasileira.
2. Reconhecendo expressamente que, antes dos governos do Partido dos Trabalhadores, as iniciativas de combate à corrupção foram reprimidas e engavetadas, devemos agora fortemente condenar a administração seletiva da justiça, que leva a uma criminalização preferencial da esquerda e do Partido dos Trabalhadores e de suas lideranças como responsáveis pelos malfeitos que assolam a vida pública brasileira. Isso quando, a cada dia, fica mais clara para a população a situação das lideranças golpista como líderes máximos da corrupção no Brasil.
3. Nesse contexto, reafirmamos o nosso compromisso de combate à corrupção e queremos considerar que as ” Dez Medidas” não podem, mesmo nos seus propósitos meritórios, contribuir para a redução do direito de defesa, o que irá penalizar, com certeza, a população mais pobre. A luta contra a corrupção não pode, sob nenhuma escusa, ocorrer a expensas da parcela mais desprotegida e menos privilegiada da população.
4. Por isso, votaremos nas Medidas, que, preservando os direitos constitucionais e de defesa, sejam efetivas no combate à corrupção.
5. Isso dito, queremos repudiar qualquer tentativa de anistia ao caixa dois, que se pretenda, como penduricalho, agregar a estas medidas contra a corrupção. Entendemos que seja este um dos objetivos do golpe: “estancar a sangria”, nas palavras de um dos golpistas; proteger deputados que votaram pelo impeachment da presidenta Dilma e que podem ser envolvidos com este crime eleitoral nas investigações em curso.
6. Por outro lado, reiteramos que é inaceitável criminalizar doações legais e devidamente contabilizadas.
7. Portanto, reafirmamos nosso compromisso com a construção de um estado democrático de direito no Brasil e denunciamos quaisquer iniciativas que possam ameaçar garantias constitucionais e, ao mesmo tempo, anistiar o caixa dois. 
Assinam:
Adelmo Carneiro Leão (PT-MG)
Ana Perugini (PT-SP)
Chico Dângelo (PT-RJ)
Décio Lima (PT-SC)
Elvino Bohn Gass (PT-RS)
Érika Kokay (PT-DF)
Givaldo Vieira (PT-ES)
Helder Salomão (PT-ES)
Henrique Fontana (PT-RS)
João Daniel (PT-SE)
Jorge Solla (PT-BA)
Luizianne Lins (PT-CE)
Marcon (PT-RS)
Margarida Salomão (PT-MG)
Maria do Rosário (PT-RS)
Moema Gramacho (PT-BA)
Padre João (PT-MG)
Padre Luís Couto (PT-PB)
Paulo Pimenta (PT-RS)
Paulo Teixeira (PT-SP)
Pedro Uczai (PT-SC)
Pepe Vargas (PT-RS)
Raimundo Angelim (PT-AC)
Valmir Assunção (PT-BA)
Waldenor Pereira (PT-BA)
Zé Carlos (PT-MA)
Não assinaram a nota os seguintes deputados federais do PT:    
Afonso Florence (BA) – Líder da Bancada
Andrés Sanchez (SP)
Arlindo Chinaglia (SP)
Assis Carvalho (PI)
Benedita da Silva (RJ)
Beto Faro (PA)
Caetano (BA)
Enio Verri (PR)
Fabiano Horta (RJ)
Gabriel Guimarães (MG)
José Airton Cirilo (CE)
José Guimarães (CE)
José Mentor (SP)
Léo de Brito (AC)
Leonardo Monteiro (MG)
Luiz Sérgio (RJ)
Marco Maia (RS)
Nelson Pellegrino (BA)
Nilto Tatto (SP)
Patrus Ananias (MG)
Paulo Fernando dos Santos – Paulão (AL)
Reginaldo Lopes (MG)
Rubens Otoni (GO)
Ságuas Moraes (MT)
Valmir Prascidelli (SP)
Vander Loubet (MS)
Vicente Cândido (SP)
Vicentinho (SP)
Zarattini (SP)
Zé Geraldo (PA)
Zeca Dirceu (PR)
Zeca do PT (MS)
PS do Viomundo: Ainda não se sabe qual a posição final que o PT adotará. Por ora, diante desse quadro, é possível que o partido libere a bancada a votar como achar melhor. Ainda não se conhece a emenda substitutiva global que incluirá a anistia ao caixa 2. Está sendo elaborada.

Um comentário :

  1. As alterações contidas na Medida Provisória que pretende fazer a reforma no Ensino Médio são mínimas, e a maioria delas é até benéfica. A PEC 241 – que agora é PEC 55 no Senado – também traz muitos benefícios, nem chega perto de ser o demônio que a extrema-esquerda pintou com toda essa conversa de “congelamento de 20 anos”. No entanto, uma coisa até então não tinha ficado suficientemente clara: Toda essa movimentação contra estas duas mudanças era motivada apenas pelo desejo de queimar Michel Temer?

    A princípio, parecia que sim! Hoje, entretanto, é possível notar que há pelo menos um componente a mais nessa história toda: desvio de foco. O que deixou tudo isso mais claro foi justamente a discussão e as votações de hoje (que acabaram sendo adiadas) acerca da anistia ao caixa dois, a tentativa dos parlamentares de barrar a possibilidade de serem punidos retroativamente pelo dinheiro ilegal recebido em campanhas passadas. Isso tudo aconteceu especialmente porque vários executivos da Odebrecht assinaram, nos últimos dias, um mega acordo de delação premiada. Com certeza muita sujeira será desenterrada.

    O risco de serem punidos por caixa dois retroativo colocou boa parte dos deputados em estado de alerta, e isso fez com que muitos deles se unissem em prol de uma manobra para tentar evitar este tremendo problema. E quem são, afinal, os principais envolvidos em toda a armação? Deputados petistas, do PCdoB, aquela ala do PMDB e do PP que sempre esteve de conluio com o PT e uma parte do PSDB. No caso do PT, especialmente, a anistia ao caixa dois já é até unânime, afinal eles foram os principais beneficiados pelos acordos com a empreiteira Odebrecht.

    Com tudo isso acontecendo, perceba que boa parte dos portais de extrema-esquerda tem ficado em silêncio. Falaram muito pouco, quase nada ou simplesmente nem tocaram no assunto. Enquanto isso, gritam contra a PEC 55, gritam contra a reforma do Ensino Médio, fazem todo um escândalo para chamar a sua atenção para questões que são, a curto ou longo prazo, praticamente irrelevantes. A PEC 55, se aprovada, irá apenas estabilizar a economia, o que na prática é bom, mas não é mais do que obrigação. A reforma do Ensino Médio irá resultar em maior liberdade de escolha para os alunos e pais de alunos, e obviamente se fala em liberdade a esquerda já não gosta muito. Ainda assim, com o sistema público que temos isso dificilmente irá impactar positiva ou negativamente no resultado final.

    A anistia ao caixa dois, por outro lado, resultará na absolvição de todos aqueles que até hoje trapacearam durante suas campanhas eleitorais, todos aqueles que se elegeram por meio da mentira e do jogo sujo, e isso inclui praticamente todos os políticos petistas do país – e seus principais aliados, como PMDB, PP, etc. Tudo isso só está acontecendo porque as mídias alternativas de esquerda bombardearam a pauta da PEC 241 e a da reforma do Ensino Médio, e por conta das diversas manifestações e escolas invadidas, isso acabou se tornando o foco do debate político nas últimas semanas, quiçá nos últimos dois meses. Se pensarmos bem, quase não se falou de outra coisa.

    Toda essa algazarra feita até então foi, muito claramente, uma tentativa de distrair a população, enquanto isso petistas e seus aliados que enriqueceram suas campanhas com a Odebrecht seriam anistiados de tudo o que fizeram.

    http://www.ceticismopolitico.com/como-a-extrema-esquerda-usou-a-pec-241-e-a-reforma-do-ensino-medio-para-desviar-sua-atencao-do-que-realmente-importa/

    ResponderExcluir