sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Destróier britânico que espiava porta-aviões russo ficou fora de serviço por falha técnica


O destróier Duncan, um dos mais modernos da Marinha do Reino Unido, ficou fora de serviço por uma falha total de propulsão, quando participava das manobras da OTAN, informa o The Telegraph.
Destróier do projeto Tipo 45 HMS Duncan
O navio deixou a base naval de Devonport no dia 21 de novembro e, dois dias depois, foi necessário enviar um rebocador para o trazer de volta ao porto. 


Representantes do Ministério da Defesa britânico disseram que o navio havia voltado à base para que o seu funcionamento técnico pudesse ser avaliado.

Em outubro, o destróier britânico esteve entre os seis navios da OTAN que participam do acompanhamento do grupo naval russo liderado pelo porta-aviões russo Admiral Kuznetsov rumo às costas da Síria. Duncan ingressou no serviço ativo da 'Royal Navy' em 2013 e é o destróier mais inovador do projeto Tipo 45, realizado desde 2003.

De momento, no Reino Unido há seis navios semelhantes. Estão armados com sistemas de mísseis antiaéreos PAAMS, uma instalação de artilharia de 114 mm, canhões antiaéreos e armas antissubmarino. Duncan também tem a capacidade de transportar um helicóptero a bordo.

O incidente é o último de uma série de falhas elétricas que têm afetado estes navios e fizeram a Marinha britânica admitir que os seis destróieres precisam de reparações urgentes e completas, destaca o The Telegraph.

Sputnik

Nenhum comentário :

Postar um comentário