terça-feira, 27 de dezembro de 2016

5 RAZÕES PELAS QUAIS A OTAN NÃO PODE DERROTAR A RÚSSIA.


Há muita preocupação entre as pessoas de muitos países por causa do risco de um conflito entre a OTAN, liderada pelos EUA e a Rússia. Propaganda ocidental tem levado a acreditar que a Rússia é um país que pode ser superado com facilidade e sem qualquer risco, mas não é verdade e neste artigo eu vou dar 5 razões para isso.

Em caso de conflito, o primeiro ataque viria da OTAN porque a Rússia é fiel à sua doutrina militar e não iria atacar qualquer país a menos que seja atacada primeiro.


1. DOMÍNIO DOS CÉUS.


A OTAN baseia sua potência militar especialmente na superioridade aérea.

Mas no caso de atacar a Rússia os sistemas S-300, S-400 e Pantsir-2 criam um “muro de mísseis” intransponível para os caça-bombardeiros F-16 e F-18.

O único método de ataque seria possível com aviões “furtivos” F-22, B-2 e futuro F-35.

Mas essas aeronaves são escassos, exigindo elevados custos de manutenção e não pode fazer ataques maciços de modo que não poderia garantir criar uma “zona de exclusão aérea” além do que as forças aéreas russas com seus interceptores MIG-31 bloqueariam grande parte os combatentes que escapassem dos sistemas anti-aéreos.

Por último a Rússia dispõe de sistemas de defesa imunes a possíveis ataques eletrônicos (CONMIT e SIGINT) que possam causar a tecnologia dos EUA aos radares russos.

2. BLITZKRIEG AÉREA E NAVAL

Ao estilo da Alemanha Nazista, a OTAN tem configurado tropas terrestres com a fim de realizar um “ataque relâmpago” contra a Rússia.

Para desgraça deles não há disponibilidade de homens suficientes para garantir a ocupação rápida de Moscow.

No total se estima que existam 15.000 soldados para um ataque rápido contra 65.000 homens que tem a Rússia no Distrito Militar Ocidental. Por tanto um ataque por terra está descartado.

Enquanto no mar a OTAN dispõe de um grupo de ataque de 2 porta-aviões, 8 porta-helicópteros, submarinos, fragatas e cruzadores de guerra que atacariam pelo Mar Báltico, uma frota muito poderosa.

Os sistemas anti-navio Onyx P-800 e Bal podem bloquear sem problemas um ataque deste estilo ao semelhante ao modo como o míssil de cruzeiro Kh-101 foram disparados desde o mar Cáspio.

3. GUERRA HÍBRIDA

Sabemos que este tipo de guerra psicológica tem sido usado em muitos países para virar a população de um país contra seu governo e derrubá-lo. No que é chamado de “Jujitsu Política” muitos países caíram sem nem sequer ter que atacá-los militarmente e sem perder tropas no processo.

A Rússia tem desenvolvido mecanismos para evitar possíveis sabotagens, revoltas e manifestações que são um prelúdio para um ataque deste tipo.

4. OPINIÃO PÚBLICA NEGATIVA

A parte principal da população dos países que conformam a OTAN têm manifestado em muitas pesquisas sua rejeição retumbante de uma guerra com a Rússia, que não é vista como uma ameaça.
Por isso, as forças da OTAN teriam os seus cidadãos contra eles desde o início.

5. DISPUTAS NA ALIANÇA

A OTAN não tem um comando conjunto eficaz e muitos de seus membros (como Espanha e Bulgária) realmente não querem pertencer a esta organização e têm sido “forçado” a estar nele.

No caso de um conflito com a Rússia a maior parte da força da OTAN não poderia ser usada a tempo devido a problemas de comando e coordenação.

No caso de um conflito com a Rússia a maior parte da força da OTAN não poderia ser usado no tempo devido a problemas de comando e coordenação.

Muitos países também não conduziriam suas tropas para a guerra contra a Rússia. Em contrapartida, a Rússia tem uma liderança forte e eficaz que poderia tomar decisões rápidas em caso de conflito e reagir adequadamente.

Vamos adicionar aos comentários feitos por Garcia, um recente relatório pelo think tank dos EUA, The Heritage Foundation, de tendência republicana, advertindo que o Exército dos EUA perdeu grande parte de sua capacidade combativa e que não pode ganhar uma grande guerra ou duas guerras ao mesmo tempo.

De acordo com o relatório das Forças Armadas dos EUA eles são dois terços do tamanho que deveriam ser, e apenas um terço deles estão em níveis adequados de prontidão para o combate.

Eles são dois terços do tamanho que deveria ser, e apenas um terço deles é níveis adequados de prontidão para o combate.

Entre os vários ramos das Forças Armadas dos EUA, o Exército (Army U.S) recebe a pior pontuação e é considerado “fraco”, porque nos últimos anos perdeu mais de 110.000 membros ativos da sua equipe.

Da mesma forma, apenas 13 brigadas de combate do exército dos EUA (BCT, por sua sigla em Inglês) estão totalmente prontas para o combate, destas nove estão envolvidas em operações e apenas quatro delas poderiam ser usadas no caso de novas guerras.

(BCT, por sua sigla em Inglês) são totalmente pronto para o combate, estes nove estão envolvidos em operações e apenas quatro deles poderia ser usado no caso de novas guerras quebrando.

Tudo isso leva à conclusão de que um ataque militar convencional pela OTAN ou os EUA contra a Rússia, é impossível no momento.

Autor: Argelio García

Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Fonte: Sputnik News.com

Nenhum comentário :

Postar um comentário