segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Empresa ucraniana pode produzir motor para helicóptero russo-chinês


Empresa ucraniana Motor Sich poderá produzir o motor para o helicóptero pesado civil russo-chinês, disse na segunda-feira (13) o jornal Kommersant.

Motor Sich, SA, em Zaporozhye
"Apesar do colapso da cooperação entre Kiev e Moscou no campo da engenharia de motores, a empresa ucraniana Motor Sich poderá participar do projeto russo-chinês para fabricação do helicóptero pesado AHL produzindo motores AI-136T para o novo aparelho. O mediador entre as partes em conflito e coordenador do projeto será Pequim. Se esta forma indireta de cooperação falhar mesmo, a Rússia e a China terão que se especializar na fabricação de motores por si mesmas — as consultas sobre este assunto já começaram", escreve o jornal.


Na quinta-feira (9), o primeiro-ministro russo, Dmitry Medvedev, aprovou o acordo com a China para o desenvolvimento de um helicóptero pesado. Como foi relatado ao jornal pela empresa Vertolyoty Rossii (Helicópteros da Rússia), as negociações sobre o desenvolvimento estão em fase de conclusão.
No início de 2016, se tornou conhecido que o helicóptero seria desenvolvido apenas para o mercado chinês. A sua concepção e fabricação foram dificultadas pela escolha do motor. Segundo observa o jornal, o ex-chefe da Vertolyoty Rossii, Aleksandr Mikheyev, disse que a aeronave poderia utilizar o motor ucraniano D-136.
A Corporação de Engenharia de Motores Unida (que faz parte da Rostec) está disposta a considerar a possibilidade de participação de empresas chinesas no desenvolvimento e produção do motor russo com base no projeto PD-12B "em caso de haver interesse por parte dos parceiros".
Em 25 de junho do ano passado, em Pequim, os governos da Rússia e da China assinaram um acordo para a realização conjunta do programa de uma aeronave de fuselagem larga de longo prazo. Durante a cerimônia de assinatura, a Corporação de Engenharia de Motores Unida e a Corporação Chinesa de Aviação Civil assinaram um acordo de cooperação conjunta para o programa de criação de um avião de passageiros.
O memorando sobre a criação da aeronave de fuselagem larga russo-chinesa foi assinado na primavera de 2014 durante a visita de Vladimir Putin à China. Segundo as partes, o avião, com capacidade para 250-300 passageiros, vai competir com as aeronaves Airbus e Boeing e terá uma quota de mercado significativa não só na Rússia e na China, mas também em outros países.
sputniknews

Nenhum comentário :

Postar um comentário