segunda-feira, 29 de maio de 2017

Para que o submarino futurista russo precisa de asas de avião?


O novo submarino de pesquisa criado pela Rússia será o maior de sua classe, poderá navegar por debaixo dos blocos de gelo e cartografar o relevo do fundo do mar, equipado com dois eixos de asas semelhantes às de aviões.
Submarino projetado pela construtora Rubín, foto de arquivo


Este é um projeto conjunto da Fundação de Estudos Avançados (FPI, na sua sigla em inglês) e o gabinete de projetos Rubin. Foi o Rubin que projetou os Akula, os maiores submarinos jamais construídos. O novo navio supera as 14.000 toneladas de deslocamento, o que o tornará o maior submarino de investigação civil construído.


O detalhe mais marcante do novo navio serão dois pares de "asas" que, ao ser implantadas lhe dão um aspecto bastante futurista. Essas "asas" permitirão que o submarino explore detalhadamente o fundo do mar.
"Cada asa medirá cerca de 50 metros, por isso a envergadura será de cerca de 100 metros. Isso é muito mais do que qualquer aeronave que tenha voado", aponta a propósito H. I. Sutton, especialista em projetos náuticos.
Como o submarino será de uso civil, não portará armamento algum, destaca Sutton. Terá a capacidade de abrigar vários drones submarinos e mergulhar a uma profundidade de até 400 metros.
O início da construção do submarino invulgar está previsto para o ano 2020 e uma de suas primeiras missões será investigar a zona econômica exclusiva de Rússia no fundo do oceano Ártico.

Nenhum comentário :

Postar um comentário