quarta-feira, 12 de julho de 2017

Analistas britânicos estão apreensivos com mísseis 'baratos' russos


Os navios militares britânicos, incluindo o novo porta-aviões Queen Elizabeth, são vulneráveis aos novos mísseis russos e chineses, comunica o The Telegraph citando um relatório elaborado pelo centro analítico Royal United Services Institute.
Lançamento de mísseis de cruzeiro russos dos navios da Frota do Mar Cáspio para atacar as posições do Estado Islâmico na Síria


De acordo com as estimativas dos analistas, a Rússia e a China possuem armas da alta precisão que representam uma ameaça séria para os navios, aviões e armas terrestres, incluindo os quem têm blindagem reforçada. 

Além disso, os países ocidentais não podem contar completamente com os sistemas de comunicações por satélite, diz o relatório. Os mísseis russos e chineses podem destruir os sistemas de comunicações e de posicionamento, tão importantes para os exércitos ocidentais.

"Os mísseis, cujo preço é inferior a 500 mil libras esterlinas (cerca de 642,7 mil dólares), podem, no mínimo, destruir o porta-aviões britânico, que custa mais de 3 bilhões", acrescentam os analistas britânicos. 

O relatório acrescenta também que, desde 2003, o valor do financiamento do Ministério da Defesa britânico destinado à atividade científica caiu 27%, enquanto os trabalhos de desenvolvimento foram reduzidos em cerca de 50%. 

O porta-aviões Queen Elizabeth é o maior navio de guerra na história da Grã-Bretanha. De acordo com a mídia, o seu preço foi mais de 3,8 bilhões de dólares. O ministro da Defesa britânico Michael Fallon disse recentemente que o porta-aviões "provocará a inveja por parte da Rússia". Em resposta a isso, o Ministério da Defesa russo afirmou que o navio de guerra é "um alvo favorável". 

sputniknews

Nenhum comentário :

Postar um comentário