quarta-feira, 14 de março de 2018

A Força Aérea da China pode adquirir em breve mais caças Su-35


Adaptado por E.M.Pinto

Segundo o National Interest (NI)  a china está contente com a velocidade e qualidade da primeira entrega dos caças russos Su-35 e já fala em pré-requisitos de produção local para a aquisição de  mais pedidos de caças do modelo. O Site afirma que várias fontes dentro da Rússia e da Força Aérea do Exército de Libertação do Povo sugerem que Pequim e Moscou podem ter atingido um acordo preliminar para aquisição pela PLAAF de mais caças Sukhoi Su-35 feitos na Rússia.



O artigo do militar Kanwa Defense Review, baseado em Hong Kong, informou em fevereiro que o segundo lote da aeronave já havia se instalado nas bases aéreas do PLA no sul da China. 

A possível  base aérea onde os lotes subsequentes do Su -35 podem se instalar são:  Suixi, na província de Guangdong, no sul da China, que está sob o comando sul do PLA.

Vários Su-35 se juntaram às operações recentes do PLA em patrulhas à Taiwanno Mar da China Meridional, juntamente com bombardeiros Su-30, H-6K e aeronaves de alerta antecipado e guerra eletrônica. Em novembro de 2015, o PLA tornou-se o primeiro cliente de exportação para o Su-35 após Moscou e Pequim assinaram um contrato de US $ 2 bilhões para a compra de 24 aeronaves. Os primeiros quatro aviões foram entregues em dezembro de 2016.

Citando fontes dentro da indústria de defesa russa, o NI informou que fábrica de aeronaves Komsomolsk-on-Amur havia sisod consultada sobre mais pedidos após o feedback satisfatório do PLA sobre a velocidade e qualidade do lote de entrega inicial.

O Su-35 é um caça derivado modernizado dos  Su-27 destinados à exportação no final da década de 1980, mas a desintegração da União Soviética e o embargo de armas do Ocidente atrapalharam seus planos de exportação, até que os pedidos de Pequim lançaram uma linha de vida. Melhorias subsequentes também foram feitas no seu cockpit, design estrutural e sistema de controle de armas ao longo dos anos.

O Site informou que Pequim deixou claro que mais pedidos só podem se enquadrar nos parâmetros de transferência de conhecimento e produção localizada de alguns sub-sistemas e aviônica, uma tentativa e verdadeira tática para replicar tecnologias no exterior para alternativas mais baratas e feitas em casa.

Ainda assim, os analistas dizem que a Rússia pode estar disposta a concordar, especialmente  agora que existe um relacionamento genuíno entre os dois países e que o co-desenvolvimento e co-produção bilateral de armas e aviões  vão desde mísseis de cruzeiro até aviões de passageiros numa parceria que está em franco avanço.

Moscou reduziu as transferências de armas e a cooperação por volta de 2005 evitando a engenharia reversa chinesa de sistemas de armas, especialmente motores e componentes de aeronaves. Mas agora também concordou em vender sistemas de defesa aérea e de mísseis S-400 os mais  avançados da China, entre outros justamente depois de vários anos de lobby por Pequim.

Enquanto isso, a Força Aérea da Indonésia também finalizou o contrato de compra de 11 Su-35 em fevereiro, com a primeira entrega prevista para outubro. Além destes, a Índia e os Emirados Árabes Unidos estão se apresentando como  possíveis compradores do caça multifuncional russo.

Fonte: Interesse Nacional

planobrazil

Nenhum comentário :

Postar um comentário