terça-feira, 27 de março de 2018

Milhares De Civis Em Ghouta Oriental são Libertados Da Prisão Por Forças Sírias


Na maior cidade do distrito do leste de Ghouta, Douma, civis e militares foram libertados da “cadeia de arrependimentos”, onde foram mantidos prisioneiros durante anos por terroristas da Jaish al-Islam.

Havia centenas de mulheres e crianças da cidade de Adra, que foi capturada por terroristas em dezembro de 2013. Adra é uma das maiores cidades industriais nos subúrbios de Damasco.


Em dezembro de 2013, militantes tomaram a cidade e massacraram civis, enquanto muitos foram presos.

Uma fonte nas forças de segurança sírias disse a Sputnik que “as informações sobre a cadeia de arrependimento” são parcialmente confidenciais, mas pode ser confirmado que esta prisão não foi a única em Douma.

“Nesses locais, extremistas torturaram os sequestrados, obrigando-os a se arrependerem de seus pecados. Assim, eles queriam mostrar a doutrina de uma revolução pacífica. Mas que pecados as crianças, que eram o maior número na prisão, têm para se arrepender? ”, Perguntou a fonte.

Segundo a fonte, havia 3.500 presos na prisão. Os terroristas usaram-nos como escudo humano para pressionar o exército sírio, que fez todo o possível para salvar as vidas das pessoas da cidade.

A fonte chegou a dizer que, atualmente, terroristas de Jaish al-Islam estão negociando com o lado russo, que está fornecendo corredores humanitários em Ghouta.

De acordo com a fonte, esses terroristas queriam partir, assim como Ahrar ash-Sham e a frente al-Nusra, depois que os reféns foram libertados, mas neste caso, as negociações foram adiadas, devido aos muitos aspectos complexos da situação.

O Ministério da Defesa da Rússia informou na segunda-feira que cerca de 6.500 militantes deixaram a cidade síria de Irbin nos últimos dois dias.

De acordo com o ministério, 4.979 militantes e membros de suas famílias foram transferidos de Harasta em Ghouta Oriental para a província de Idlib no domingo, após acordos do centro russo para a reconciliação síria com os líderes do grupo Ahrar al-Sham.

O ministério também acrescentou que quase 114 mil pessoas deixaram o subúrbio de Damasco no leste de Ghouta desde o início das pausas humanitárias.

Sputnik

Muraselon



Nenhum comentário :

Postar um comentário