quarta-feira, 4 de abril de 2018

O que está por trás do 'design genial' da nova corveta russa? (FOTOS)


Os EUA ficaram impressionados com os novos navios-patrulha russos do projeto 22160. Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o especialista militar, Viktor Litovkin, ressaltou as vantagens da embarcação que não se limita ao design perfeito.
Navio-patrulha da Rússia no golfo da Finlândia (imagem referencial)
A novíssima corveta russa do projeto 22160 tem um design "bastante genial" com enorme poder de combate mesmo sendo de pequeno porte, informa o portal The Drive.


O artigo do portal sublinha que o navio foi criado baseando-se no princípio de módulos, ou seja, equipamento e armas do projeto podem mudar de acordo com o objetivo, seja ele luta contra pirataria ou apoio a grandes operações de ataque.

Ver imagem no TwitterVer imagem no TwitterVer imagem no Twitter
Mais fotos do navio-patrulha do projeto 22160 Vasily Bykov na base naval de Novorossiysk, Rússia.

Além da artilharia de 57 milímetros, de metralhadoras e do complexo lançador de granadas antissabotagem DP-65, há um espaço vazio sob a plataforma de helicópteros. Esse espaço, nota a edição, pode ser usado para posicionamento de dois complexos de mísseis Kalibr (Club-K).

Segundo o autor do artigo, trata-se da possibilidade de pequenos navios-patrulha efetuarem ataques com oito mísseis contra alvos marítimos e terrestres a grandes distâncias.
A autonomia de navegação dos navios deste projeto corresponde a dois meses, durante os quais podem cobrir uma distância de até 11 mil quilômetros, sublinha o autor, adicionando que a corveta pode servir de inspiração para navios de guerra multifuncionais do Ocidente.
O objetivo principal dos navios do projeto é proteger águas territoriais, lutar contra pirataria, bem como apoiar os seus "irmãos" no combate.
Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o especialista militar, Viktor Litovkin, ressaltou as vantagens do navio-patrulha.
"A corveta é boa por propiciar uma velocidade rápida. No mar ele chega a 27 nós [50 km/h]. Além disso, tem uma arma muito potente: canhão automatizado AK-630 que é uma arma com seis canos de 30 milímetros que, de fato, pode dividir o navio inimigo em duas partes", frisou.
O analista notou que a bordo também há mísseis de cruzeiro, o que é uma grande vantagem levando em conta o pequeno peso da corveta. De acordo com ele, no Ocidente, por certa razão, acham que na Rússia tudo é "feio". "Mas aqui na Rússia há muito que produzimos armas esteticamente atraentes", frisou.
"O design da embarcação não é mera decoração, é para garantir alta velocidade e boa navegabilidade para cumprimento das missões de combate", concluiu Litovkin.



Nenhum comentário :

Postar um comentário