quinta-feira, 10 de maio de 2018

Novo governo da Rússia veste o capelo talar* para avançar em matéria de espinha dorsal zero


John Helmer, Dances with Bears, Moscou

Traduzido pelo Coletivo Vila Vudu

Desde a Idade Média, quer dizer, por quase mil anos, o capelo simboliza o aprendizado à maneira europeia. Na origem, significava que o portador chegara à formatura e obtivera grau universitário. 
Da esquerda para a direita: Alexei Kudrin; Anton Siluanov, nomeado por Medvedev ao cargo de novo primeiro vice-primeiro-ministro; Anton Vaino, atual chefe de gabinete do Kremlin; e Sergei Kirienko, vice-chefe de gabinete do Kremlin.
Significava também que havia vários graus superiores e mais conhecimentos ainda por alcançar. Era símbolo da superioridade da educação do portador do capelo, se comparado ao analfabeto –, e da correspondente mediocridade do mesmo portador, entre os sábios.

O Presidente da Corte Constitucional Russa (espécie de Carminha-bravateira, do STF-com-tudo da Rússia-2018 (NTs)], Valery Zorkin, 75 anos, para presidir a sessão da 3ª-feira da posse do presidente Vladimir Putin para iniciar seu quarto mandato, usava um capelo – chapéu jamais visto antes na tradição da Suprema Corte da Rússia. E os demais juízes da corte, que assistiam à cerimônia também portavam, cada um, seu capelo.

O ministro da Defesa Sergei Shoigu e o general Valery Gerasimov, comandante do Estado-maior vestiam uniformes de gala, mas sem chapéu, quepe ou boné. O primeiro-ministro Dmitry Medvedev, usou paletó de lapela dupla e duplo abotoamento. Sem precedentes em sua história pessoal, mas sem chapéu. Além dos juízes, a única autoridade que usou chapéu na cerimônia foi o patriarca Kirill. Sem os respectivos capelos, se alguém ali entende que ainda precisaria aprender alguma coisa para poder governar a Rússia, ninguém divulgou.

Foto oficial do Kremlin, do presidente Putin prestando o juramento de posse. À direita dele na tribuna, o ministro chefe Zorkin, com capelo. À esquerda, em primeiro plano, outros juízes da Corte Constitucional, com capelos. 

Na transmissão oficial da cerimônia de posse, os produtores do Kremlin filmaram em tela cheia várias mulheres jovens e belas, além de Medvedev, Gerasimov, os ex-vices-primeiros-ministros Igor Shuvalov e Arkady Dvorkovich, e o ministro de Relações Exteriores que está deixando o posto, Sergei Lavrov. Dmitry Rogozin, o vice-primeiro-ministro encarregado do complexo industrial-militar, foi filmado numa multidão; mais tarde Medvedev anunciou que Rogozin está sendo substituído.

Alexei Kudrin, candidato nesse momento a ser o segundo mais poderoso funcionário nessa terra, não foi filmado nem aparece no álbum de fotos do Kremlin. Mas o discurso-roteiro de posse que Putin leu é da lavra de Kudrin, não de Shoigu, nem de Gerasimov nem de Rogozin.

Os "avanços" [ing. breakthroughs] que aparecem em todos os acordes daquele discurso de posse (Putin repetiu a palavra nada menos que sete vezes!), são recomendação e projeto de Kudrin, não do comitê Stavka. Para conhecer as diferenças entre esses projetos, e a rivalidade na disputa pelo poder no novo governo, leiam aqui (ing.) e aqui (em tradução).******





* "Capelo – ou borla, é um chapéu privativo de autoridades, usado juntamente com a Beca, compondo as chamadas vestes de corte ou talares, já não é usado no Tribunal de Justiça de Minas Gerais, TJMG. Seu uso pode ser observado em outros tribunais, bem como em formaturas e colações de graus, em especial nas faculdades de Direito. Sua cor e modelo variam de acordo com a investidura ao cargo do usuário, por exemplo, o branco é de uso exclusivo do reitor. De acordo com o Regimento Interno do TJMG, o uso dessas vestimentas de caráter cerimonial é limitado às solenidades de posse, conforme o parágrafo único do art. 28: “As vestes talares serão usadas somente nas sessões de posse do Presidente do Tribunal e de desembargador” (Museu do Judiciário Mineiro, junho/2009). Encontram-se capelos à venda no Mercado Livre a preço módico [NTs].




Nenhum comentário :

Postar um comentário