quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Ocidente não tem uma defesa real contra o torpedo do fim do mundo da Rússia


Seria como procurar uma agulha no palheiro - e mesmo se for detectado perto da costa a esta altura, ele terá acelerado a alta velocidade no qual os contra-torpedos não conseguiriam alcança-lo

Marinhas dos EUA e da Grã-Bretanha poderiam combater o torpedo autônomo russo Poseidon,  usando sensores submarinos e aviões anti-submarinos, segundo o  site da Covert Shores. Mas esta é realmente uma tática viável?

O desenvolvimento do veículo subaquático não-tripulado Poseidon (UUV), originalmente conhecido como 'Status-6', foi mencionado pela primeira vez em novembro de 2015. A mídia ocidental posteriormente apelidou o drone submarino de arma do juízo final  . 

Em 1º de março de 2018, o presidente russo, Vladimir Putin, confirmou oficialmente a existência da arma em seu discurso anual à Assembléia Federal.
“Desenvolvemos veículos submersíveis não tripulados que podem se mover a grandes profundidades - eu diria profundidades extremas - intercontinentais, a uma velocidade várias vezes maior que a velocidade dos submarinos, torpedos de ponta e todos os tipos de navios de superfície”, disse Putin.
É relatado que o principal objetivo do torpedo é entregar uma ogiva termonuclear às costas inimigas, a fim de destruir infra-estruturas costeiras importantes e objetivos industriais, bem como garantir danos maciços ao território do inimigo, submetendo vastas áreas a tsunamis radioativos e outros devastadores consequências de uma explosão nuclear.

New up to date mega article on Poseidon (Status-6 / Skif / KANYON) Intercontinental Nuclear-Powered Nuclear-Armed Autonomous Torpedo. http://www.hisutton.com/Poseidon_Torpedo.html  illustration with person for scale:

Outro uso potencial para o torpedo Poseidon é atacar grupos de batalha de porta-aviões dos EUA.

Em  8 de dezembro de 2016 , a inteligência dos EUA informou que, em 27 de novembro, a Rússia havia realizado um teste de um UUV movido a energia nuclear, lançado de um submarino da classe B-90 Sarov. Em fevereiro, o Pentágono adicionou oficialmente o Status-6 à tríade nuclear russa  mencionando -o na Revisão da Postura Nuclear dos EUA.
Atualmente, as especificações técnicas dos torpedos Poseidon são informações classificadas. Até agora, sabe-se que o UUV tem mais de 19 metros de comprimento e quase dois metros de largura. Anteriormente, supunha-se que Poseidon estaria equipado com uma ogiva termonuclear de 100 megatons que poderia destruir cidades litorâneas inteiras e causar mais destruição no interior do continente, provocando tsunamis carregados de precipitação radioativa.


No entanto, de acordo com as informações mais recentes, o poder da ogiva de Poseidon é de apenas dois megatons. Mas isso não muda muito. Esta quantidade de material nuclear ainda é suficiente para destruir grandes cidades costeiras, bases navais e causar um tsunami.

Além disso, uma ogiva dessa classe poderia facilmente eliminar qualquer grupo de ataque da Marinha dos EUA.

Segundo alguns relatos, o Poseidon pode desenvolver velocidades de até 70 nós, o que é mais rápido do que qualquer submarino nuclear dos EUA ou torpedo anti-navio.  A profundidade operacional do Poseidon é de mais de mil metros, o que também excede significativamente as capacidades dos submarinos dos EUA.
De acordo com a Covert Shores, o novo UUV russo pode ser localizado com a ajuda do Navio não Tripulado de Trilha Contínua de Guerra Submarina (ACTUV, Anti-Submarine Warfare Continuous Trail Unmanned Vessel).

O drone ACTUV é um projeto dos EUA financiado pela DARPA para desenvolver um navio não tripulado projetado para detectar e rastrear submarinos inimigos com a ajuda de sonares.  Supõe-se que o navio não será equipado com armas de qualquer tipo e será usado apenas para fins de reconhecimento - no entanto, isso pode mudar no futuro.
Redes de sensores de piso oceânico, incluindo bóias de sonar, também poderiam ser utilizadas por aeronaves de patrulha marítima, como o P-8 Poseidon da Boeing, para localizar o UUV russo, segundo a Covert Shores.

"Curiosamente, Covert Shores não menciona o sistema SOSUS", disse o  vice-almirante Arkady Syroezhko, ex-chefe do programa de veículos autônomos da Diretoria Principal de Operações do Estado-Maior General das Forças Armadas da Rússia, ao Gazeta.ru.

O SOSUS é o sistema de vigilância sonora dos EUA para detectar e identificar submarinos. Deve-se notar, no entanto, que este sistema será implantado apenas nas fronteiras - por exemplo, na lacuna da GIUK (Groenlândia, Islândia e Reino Unido), ao longo da linha North Cape - Medvezhy Island, no Estreito da Dinamarca, e em alguns outros lugares. Portanto, seria um erro acreditar que o sistema SOSUS é implantado em todas as partes do oceano global. No Pacífico, por exemplo, dificilmente é usado.
Syroezhko acredita que, quando se trata de rastrear objetos submersos, o principal é selecionar o local certo para o sistema de rastreamento. Mas é muito difícil determinar onde o Poseidon pode aparecer, dado seu alcance quase ilimitado e alta velocidade.

Além disso, de acordo com Syroezhko, rastrear o Poseidon é apenas metade da batalha. Para destruir o UUV, você precisa ter um sistema permanente e pronto para combate, o  que significa ter forças e equipamentos em constante alerta e prontos para implementação. Mas os EUA ainda não têm esse sistema. Implantar tal sistema exigiria recursos financeiros substanciais - mesmo para os EUA.

Quanto às capacidades de nossos hipotéticos inimigos para destruir o Poseidon, eles são extremamente limitados.

"Hoje, o MU90 Impact é o único torpedo da OTAN capaz de atingir a profundidade de 1.000 metros", disse  Konstantin Makienko, vice-diretor do Centro de Análise de Estratégias e Tecnologias, ao Gazeta.ru.
O especialista enfatiza que um único torpedo dessa classe custa mais de US $ 2 milhões. Além disso, de acordo com outros especialistas militares, mesmo em um modo de alta velocidade (92 km / h), o que diminui significativamente seu alcance, este torpedo ainda é mais lento que o Poseidon.

Makienko diz que o Mark 54, que é o mais rápido torpedo da Marinha dos EUA, opera a 74 km / h. Ele acredita que não é capaz de alcançar o Poseidon ou atingir sua profundidade operacional.
"Até vermos um experimento ao vivo, quaisquer alegações sobre a potencial detecção ou destruição do Poseidon são totalmente infundadas. Até agora, tudo o que ouvimos são apenas palavras",  diz o ex-chefe de gabinete da Marinha russa Viktor Kravchenko.

Fonte: RT



Nenhum comentário :

Postar um comentário