sábado, 10 de fevereiro de 2018

Analista: armas estratégicas e espaciais dos EUA contra Rússia perderão sua importância


A revista National Interest (NI) revelou como os EUA tencionam superar a defesa antiaérea da Rússia. Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o especialista militar Aleksei Podberezkin comentou a situação.
Esboço do bombardeiro estratégico furtivo B-21 Raider


Os EUA procuram elaborar um novo míssil de cruzeiro de longo alcance para equipar seus novos bombardeiros estratégicos furtivos B-21 Raider, escreve a revista National Interest (NI), citando a nova doutrina nuclear norte-americana.

Segundo a edição, os novos bombardeiros estratégicos são incapazes de superar com facilidade os sistemas de defesa antiaérea da Rússia e da China. Para resolver o problema, os militares norte-americanos planejam criar um novo míssil de cruzeiro que possa ser lançado fora da zona de defesa antiaérea do possível inimigo.
Especialista militar, Aleksei Podberezkin, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, assinalou que os norte-americanos visam melhorar seu potencial em armamento estratégico de alta precisão, segundo a estratégia militar.
"A estratégia militar norte-americana, incluindo nuclear, pressupõe que a partir do espaço e por meio de armamentos estratégicos de alta precisão deve ser realizado o primeiro ataque contra o sistema de defesa antiaérea e antimíssil russo. Mas, no momento, este sistema está sendo ativamente aperfeiçoado. Está sendo criado uma zona contínua de cobertura de radar e novos sistemas, incluindo S-500, e melhorados os sistemas de mísseis Tor, S-400 e Buk", assinalou o especialista, explicando que consequências isso trará para os norte-americanos.
"Tudo o mencionado fará com que as tentativas de os norte-americanos utilizarem armamentos estratégicos de ataque e espaciais, em qualquer versão, percam inevitavelmente seu valor", frisou.
"Por isso os EUA formularam o objetivo de criar novos tipos de armas – mísseis de cruzeiro com baixa visibilidade que podem ser lançados fora da zona de alcance dos sistemas da defesa antiaérea e antimíssil russos. Sistemas deste tipo existem na Rússia: possuímos um míssil único de longo alcance e alta precisão. É claro que os norte-americanos vão aperfeiçoar seu potencial de armamento estratégico de alta precisão. Posteriormente, a situação será de uma espiral: nós vamos aperfeiçoar nosso sistema de defesa antiaérea e antimíssil, enquanto os norte-americanos serão reforçar seu potencial de ataque, já que sua estratégia pressupõe a realização do primeiro ataque incapacitante", ressaltou Aleksei Podberezkin.

sputniknews

Nenhum comentário :

Postar um comentário