sexta-feira, 15 de junho de 2018

O primeiro homem a pisar na Lua realmente encontrou ETs por lá?


Há grandes ideias não descobertas, descobertas disponíveis para aqueles que conseguem remover uma das camadas protetoras da verdade. Há lugares para se ir além da crença – Neil Armstrong
O primeiro homem a pisar na Lua realmente encontrou ETs
Não faz muito tempo que o governo russo pediu uma investigação internacional sobre os pousos na Lua dos EUA, com relação à falta de amostras e fotos não liberadas para o público. Isso criou uma nova onda de interesse sobre o que realmente aconteceu quando os EUA subiram até lá, e levou alguns a questionarem se eles sequer foram lá. O tópico é preenchido com uma série de fatos e declarações interessantes de pessoas confiáveis ​​que deixam uma coisa muito clara: algo suspeito está acontecendo na Lua, e não estamos sendo informados sobre isso.

Esta incerteza foi evidenciada por várias fontes, que incluem múltiplos astronautas do projeto Apolo, acadêmicos e denunciantes militares de alto nível, sem mencionar as fotos oficiais tiradas pela NASA. De acordo com Bob Dean, um sargento-mor do Comando do Exército dos Estados Unidos que também serviu na sede suprema da Allied Powers Europe (SHAPE) da OTAN como analista de inteligência, existem mais imagens, apagadas e escondidas durante todos esses anos, sobre as quais nunca nos foi dito:
Senhoras e senhores, meu governo, NASA, que muitos de nós nos Estados Unidos afirmam que significa Never A Straight Answer(Nunca Uma Resposta Direta), apagou 40 rolos de filme do Programa Apolo – o vôo para a Lua, o vôo ao redor do Lua, os pousos na Lua, os caras caminhando aqui e ali. Eles apagaram, pelo amor de Cristo, 40 rolos de filme desses eventos. Agora estamos falando de vários milhares de quadros individuais que foram tirados e que as chamadas autoridades determinaram que você não tinha o direito de ver. Ah, eles eram ‘perturbadores’, ‘socialmente inaceitáveis’, ‘politicamente inaceitáveis’. Fiquei furioso. Eu sou um sargento-mor aposentado. Eu nunca fui famoso por ter muita paciência.
Entraremos em fatos mais intrigantes de fontes que são consideradas credíveis mais à frente no artigo. Mais pontos serão dados sobre porque tantas pessoas estão se perguntando se há, na verdade, uma presença alienígena na Lua. Esses pontos tornam mais fácil considerar o conhecimento que cerca o pouso na Lua. Talvez um dos mais interessantes seja o que Neil Armstrong comunicou a Houston quando pousamos na Lua.
De acordo com várias fontes, após o pouso, os astronautas da Apolo transmitiram que estavam sendo vigiados por veículos extraterrestres muito grandes.
De onde vem essa afirmação?
Uma fonte é o Dr. Steven Greer, fundador do The Disclosure Project e o Centro para o Estudo da Inteligência Extraterrestre (CSETI). Greer foi responsável por trazer denunciantes militares de alto nível de todas as fileiras para testemunhar sobre o fenômeno OVNI/extraterrestre. Ele também teve reuniões de alto nível dentro do Pentágono sobre essa questão, que foi verificada pelo astronauta da Apolo 14 e 6º homem a pisar na Lua, Dr. Edgar Mitchell, no filme Sirius Disclosure, de Greer. Edgar é um dos vários astronautas da NASA que fizeram comentários reveladores sobre a presença extraterrestre.
De acordo com Greer:
Amigos íntimos e familiares muito próximos de Neil Armstrong e Buzz Aldrin me disseram separadamente que de fato havia numerosos OVNIs grandes ao redor da cratera onde o Módulo Lunar pousou, e que eles foram vistos tanto por Armstrong quanto por Aldrin. Falei também com oficiais militares que viram as imagens deste evento, mas nunca foram tornadas públicas. Um familiar próximo de Buzz Aldrin me disse: “Não é meu lugar falar por Buzz sobre isso – algum dia, se ele puder falar sobre isso, ele irá …
Neil Armstrong tornou-se um pouco recluso após o pouso na Lua, e raramente falou sobre o evento histórico. Seus amigos e familiares me disseram que isso é porque ele era um homem de tal integridade que simplesmente não queria ser colocado em uma posição para mentir ao público sobre um encontro tão importante. Quão trágico foi o fato de nossos heróis terem sido colocados nessa situação insustentável!
Quando estávamos organizando o The Disclosure Project alguns anos atrás, perguntei a um dos amigos de Neil Armstrong se Armstrong viria a Washington para informar os membros do Congresso na reunião de 1997 que organizamos em abril daquele ano. Disseram-me que Armstrong desejava que pudesse – mas se ele falasse sobre o que realmente aconteceu durante o pouso na Lua, que Neil Armstrong, sua esposa e seus filhos seriam todos mortos. Foi colocado para mim tão francamente. (fonte adicional)
Outra fonte é um ex-funcionário da NASA, Ken Johnston, que era engenheiro da Boeing e ex-piloto de testes da Grumman Aerospace. Ele também era fuzileiro naval e e piloto de um F-4, bem como funcionário da NASA, trabalhando como piloto de testes do Módulo Lunar no Manned Spacecraft Center em Houston. De acordo com James Oberg, um jornalista espacial dos EUA, cético de OVNIs e historiador do espaço:
Johnston parece ser um sincero ser humano que prestou um honroso serviço ao seu país nas forças armadas e no programa Apolo.
Ken Johsnton
Acima está uma foto dele usando sua jaqueta, tirada de um documentário no qual ele apareceu, que também apresentou Buzz Aldrin e outros notáveis ​​colegas da NASA. No documentário, ele revela:
Enquanto Neil e Buzz estavam na superfície lunar, Neil mudou para o canal médico e falou diretamente com o médico-chefe dizendo: “eles estão aqui, eles estão estacionados ao lado da cratera, eles estão nos observando. (Fonte: marca dos 34 segundos)
Johnston se refere a uma história publicada pelo ex-funcionário da NASA Otto Bender. De acordo com o Dr. Michael Salla, PhD., em um artigo escrito em seu site, Bender confirmou que os operadores de rádio HAM haviam interceptado esses sinais VHF que foram transmitidos da Apolo 11, aqueles que foram ocultados do público.
Aparentemente, foi assim:
Controle da Missão: O que há lá? Controle da Missão chamando a Apolo 11.
Apolo 11: Esses ‘bebês’ são enormes, senhor… enorme… Oh, Deus, você não acreditaria! Eu estou dizendo a você que há outras naves espaciais por aí … alinhadas no lado mais distante da borda da cratera … elas estão na Lua nos observando. (fonte)
Abaixo, você verá uma foto de William Tompkins e do Almirante Larry Marsh. Quando adolescente, Tompkins gostava de criar modelos de navios e submarinos da Marinha. A Marinha interessou-se pelas suas capacidades e recrutou-o para trabalhar em projetos de tecnologia avançada. Recentemente, ele fez declarações, como muitas outras pessoas, sobre os programas clandestinos de operação do Orçamento Negro.
William Tompkins e Almirante Larry Marsh
De acordo com Tompkins:
O Módulo Lunar (LEM) realmente impactou a superfície da Lua na Cratera no Mar da Tranquilidade, que tinha veículos de tamanho tremendo estacionados em torno da sua borda. Quando o astronauta Neil Armstrong fez o Primeiro Passo para o Homem na Lua, ele olhou para a borda da cratera e disse ao controle da missão: “Há outras naves aqui, elas são enormes”. O público não ouviu essa afirmação, nem viu as enormes naves alienígenas. Armstrong revirou a câmera em um movimento de 360 ​​graus ao redor da cratera e a CIA então classificou a informação como acima do mais secreto. (fonte)
Outra fonte para esta história vem de Timothy Good, um dos maiores pesquisadores de ovnilogia do mundo, que deu palestras em universidades, escolas e muitas organizações, inclusive no Instituto de Ciências Médicas de Laboratório, o Instituto Militar Canadense Real, a Sociedade Geográfica Real, o Ramo da Reserva Aérea Naval Real, o Grupo de Estudos OVNIs da Câmara dos Lordes e as sociedades da União de Oxford e Cambridge.
Ele diz que um ex-membro do MI6 revelou sua conversa com Neil Armstrong em uma conferência da NASA, quando ele confirmou que havia ‘outras’ espaçonaves na Lua quando a Apolo 11 pousou em 1969. Armstrong também confirmou que a CIA estava por detrás do acobertamento. Ele também fala mais detalhadamente sobre isso numa palestra interessante de 2013.
Então, você vê, esta história tem muitos lados diferentes, e dada toda a informação que está agora disponível no domínio público a respeito dos OVNIs e vida extraterrestre, realmente não é difícil acreditar, especialmente quando já temos algumas informações interessantes sobre a Lua.

Porque o que foi dito acima poderia muito bem ser verdade

Maurice Chatelain, cuja especialidade o permitiu inventar equipamentos de rádio usados ​​para ir à Lua (aqui está um exemplo de uma de suas doze patentes), revelou:
Em nenhum momento que os astronautas estavam no espaço, eles estavam sozinhos. Eles estavam sob vigilância constante por OVNIs.
Esta afirmação foi confirmada por vários astronautas, um deles sendo o Dr. Edgar Mitchell, o sexto homem a andar na Lua:
Sim, houve queda de naves, e corpos recuperados. . . . Não estamos sozinhos no Universo, eles vêm aqui há muito tempo. Eu tenho o privilégio de saber do fato de termos sido visitados neste planeta, e o fenômeno OVNI é real.  (fonte) (fonte)
E não são somente astronautas da agência, mas membros da agência também. Por exemplo, o Dr. John Brandenburg, subgerente da Missão Clementine à Lua, que fazia parte de um projeto espacial conjunto entre a Organização de Defesa de Mísseis Balísticos (BMDO) e a NASA, também fez algumas revelações fascinantes. A missão descobriu a água nos pólos da Lua em 1994. Mas, de acordo com Brandenburg, a Missão Clementine tinha uma agenda ulterior:
[A Missão Clementina foi] uma missão de reconhecimento fotográfico basicamente para verificar se alguém estava construindo bases na Lua que não conhecíamos. Eles estavam expandindo-as? . . . De todas as imagens que vi da Lua mostrando possíveis estruturas, a mais impressionante é a imagem de uma estrutura recto-linear de milhas de largura. Isso parecia inconfundivelmente artificial e não deveria estar lá. Sendo membro da comunidade do departamento de defesa, olho para tais estruturas na Lua com grande preocupação, porque não são nossas; não há como termos construído tais coisas. Isto quer dizer que alguém mais está lá em cima.
George Leonard, um cientista da NASA e analista de fotografia, obteve várias fotografias oficiais da Lua feitas pela NASA, que publicou em seu livro  Somebody Else Is On The Moon (Alguém Mais Está na Lua). Embora as fotos sejam pequenas e sua resolução não esteja de acordo com os padrões atuais, elas mostram detalhes de impressões originais e massivas. Muito mais convincente do que essas fotos, então, são suas credenciais verificadas da NASA e suas declarações sobre o que foi encontrado na Lua. E ele não é o único com um histórico confiável tentando dizer ao mundo a verdade sobre a Lua e as fotos tiradas das missões Apolo.
Dr. Norman Bergrun, engenheiro mecânico que trabalhou para o Ames Research Laboratory, o NACA (Comitê Consultivo Nacional para Aeronáutica) e a Lockheed Missiles and Space Company, agora conhecida como Lockheed Martin, acusou a agência de “adulterar” fotos que  não quer que o público veja. Ele também afirmou que há um grande número de OVNIs por aí. Você pode ver algumas de suas publicações para a NASA, onde trabalhou por mais de uma década, aqui, e assista a entrevista aqui.
Existem também estudos a serem considerados. Membros da Sociedade para Pesquisa Planetária SETI (SPSR) publicaram recentemente um artigo no Journal of Space Exploration sobre certas características do outro lado da Lua que aparecem na cratera Paracelsus C. Intitulado “Análise de Imagem de Estruturas Incomuns no Extremo Lado da Lua na Cratera Paracelsus C ”, o trabalho argumenta que essas características podem ser artificiais em sua origem, ou seja, alguém que não seja um ser humano as construiu e as colocou lá. Você pode ler mais sobre isso aqui.
Pouco depois eu me aposentei da Força Aérea, e ainda mantive contatos com amigos e associados nas várias bases, e um Coronel Parker no Comando de Defesa Aérea, o Comando Espacial. . . mencionou um incidente que depois confirmei. Uma nave espacial foi em socorro da Apolo 13, e eles acompanharam a Apolo 13 em sua viagem ao redor da Lua e de volta à Terra, e em duas ocasiões eles pensaram que poderiam ter de transferir a tripulação para sua espaçonave. Mas eles os acompanharam em segurança de volta à Terra.
A citação acima vem do Coronel Ross Dedrickson, que, na década de 1950, era responsável por manter o estoque de armas nucleares para o AEC, e acompanhar as equipes, verificando a segurança das armas, entre muitos outros deveres ao longo de sua carreira.
Ele é uma das centenas de denunciantes militares que deram testemunhos muito interessantes.



Nenhum comentário :

Postar um comentário