sábado, 21 de abril de 2018

Síria, Irã e "caos nas relações internacionais", por Pepe Escobar

Pepe Escobar, Asia Times

Traduzido pelo Coletivo Vila Vudu

Mesmo em ambiente geopolítico de pós-verdade em torvelinho, o presidente da Rússia Vladimir Putin dizer ao seu contraparte iraniano, Hassan Rouhani, em conversa telefônica, que qualquer novo ataque ocidental contra a Síria pode "levar ao caos, nas relações internacionais" deve ser visto no mínimo pelo que é: impressionante eufemismo.

Segundo o Kremlin, Putin e Rouhani concordam em que os ataques da entidade que os mais cínicos chamam de F.U.K.U.S. [por aproximação fonética, "Fodam-se EUA"] –, F de França, UK de United Kingdom [Reino Unido] e US de EUA – causaram grave dano às chances de se alcançar qualquer solução política significativa na Síria.

Para entender o estupro do Brasil, em 2016: Estupro da Rússia, nos anos 1990s. Lars Schall entrevista F. William Engdahl (2/2)

Lars Schall (LS) entrevista F. William Engdahl (FWE), autor de Manifest Destiny: Democracy as Cognitive Dissonance [Destino Manifesto: Democracia como cognição dissonante,* sem trad. ao português], transcrição, traduzido do inglês, de The Vineyard of the Saker, Introdução de Pepe Escobar (2/2)

Traduzido pelo Coletivo Vila Vudu
____________________________

Ver também

Lars Schall (LS) entrevista F. William Engdahl (FWE), autor de Manifest Destiny: Democracy as Cognitive Dissonance [Destino Manifesto: Democracia como cognição dissonante, sem trad. ao português], transcrição, traduzido do inglês, de The Vineyard of the Saker, Introdução de Pepe Escobar (1/2)______________________________

[continuação, a partir de 26"40']
LS: É. Vamos falar sobre isso. É o que se conhece como Terapia de Choque Jeffrey Sachs, ou Terapia de Choque de Harvard.


FWE: Bem, a Terapia de Choque Jeffrey Sachs, mas a Terapia de Harvard é... – Bem, o que aconteceu, a próxima fase dessa história incrível. É importante ter isso em mente e essa é uma das razões pelas quais escrevi o livro, por causa do que estava já claro depois do golpe de estado da CIA em 2014 na Ucrânia e todas as sanções contra a Rússia de Putin e tal.

Porque se não se compreende isso, se não se compreende o que realmente aconteceu nos anos 1990s, não se compreende o ódio profundo, insuperável, que há nesses neoconservadores de Washington e seus think-tanks e no establishment político dos EUA, contra a Rússia de Putin e o nacionalismo que anima a Rússia. Não é possível compreender o que está acontecendo hoje com todas essas mentiras inconcebíveis e acusações ensandecidas contra a Rússia por todos os crimes imagináveis.

Para entender o estupro do Brasil, em 2016: Estupro da Rússia, nos anos 1990s. Lars Schall entrevista F. William Engdahl (1/2)

Lars Schall (LS) entrevista F. William Engdahl (FWE), autor de Manifest Destiny: Democracy as Cognitive Dissonance [Destino Manifesto: Democracia como cognição dissonante,* sem trad. ao português], transcrição, traduzido do inglês, de The Vineyard of the Saker (1/2)

Traduzido pelo Coletivo Vila Vudu
______________________________
Ver também
Para entender o estupro do Brasil, em 2016Estupro da Rússia, nos anos 1990s Lars Schall (LS) entrevista F. William Engdahl (FWE), autor de Manifest Destiny: Democracy as Cognitive Dissonance [Destino Manifesto: Democracia como cognição dissonante, sem trad. ao português], transcrição, traduzido do inglês, de The Vineyard of the Saker (2/2)______________________________


Introdução

Pepe Escobar

William F. Engdahl é um dos principais analistas geopolíticos do mundo. Seus livros – de Century of War a Full Spectrum Dominance – são absolutamente essenciais para compreender como a nação autodeclarada "excepcional" criou e expandiu seus tentáculos de hegemonia global.
Boa medida para aferir a influência de Engdahl é que por mais que a turma do Departamento de Estado o desqualifique, aqueles suspeitos de sempre leem tudo que ele escreve e não conseguem encontrar argumento que prove que Engdahl errou.

sexta-feira, 20 de abril de 2018

RECIPIENTES COM CLORO DA ALEMANHA E BOMBAS DE FUMAÇA DO REINO UNIDO SÃO ENCONTRADOS EM GHOUTA ORIENTAL: RÚSSIA

Recipientes com cloro da Alemanha e granadas de fumaça produzidas na cidade de Salisbury, no Reino Unido, foram encontradas no subúrbio de Damasco, no leste de Ghouta, disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, em entrevista coletiva em 19 de abril.
Resultado de imagem para armas quimicas

Vídeo: Exército Sírio Inicia Bombardeio Pesado Em Posições Do Estado Islâmico No Sul De Damasco

O Exército Árabe Sírio (SAA) lançou uma ofensiva sobre as supostas posições do Estado Islâmico (ISIS) no sul de Damasco na quinta-feira, revelam imagens filmadas no distrito de al-Hajar al-Aswad.

O bombardeio vem após uma rodada fracassada de negociações com os militantes terroristas que resultaram em um ultimato de 48 horas.

VÍDEO | "Prisão Do Arrependimento" Da Jaish Al-Islam Descoberta Em Douma

A notória Al-Tawba 'Prisão de Arrependimento' do grupo militante Jaish al-Islam fortificada com e ligada a vários túneis subterrâneos foi descoberta em Douma e imagens filmadas na quinta-feira foram reveladas.


Novidades sobre a Guerra da Síria contra os Anglo Sionistas

Canthama Syrian Perspective

Há rumores crescentes de que a Rússia está fornecendo S-300s (que foram encomendados e pagos pela Síria em 2011) que estavam sob a lista de sanções do UNSC. 
Imagem relacionada
A Rússia acredita que o último ataque EUA / Reino Unido / França à Síria baseado em notícias falsas e falsas bandeiras criou uma situação em que a Rússia “não está mais obrigada a não fornecer a Damasco sistemas de mísseis de defesa aérea S-300 após o ataque da semana passada. ”, palavras de Lavrov. 

Turquia deixa bancos norte-americanos sem seu ouro

O Banco Central da Turquia retirou do Sistema de Reserva Federal dos EUA suas reservas de ouro, segundo o relatório anual publicado no site oficial do banco.
Capital da Turquia, Ancara
Com base no documento, as reservas de ouro do Banco Central da Turquia armazenadas nos EUA eram de 28.689 toneladas no final de 2016, mas já não constava nada no final de 2017.

Exército sírio encontra mísseis americanos em depósito terrorista

As tropas do governo sírio descobriram grande número de armamento terrorista na cidade de Al-Dumayr, ao nordeste de Damasco, inclusive mísseis de fabricação norte-americana, segundo agência SANA.
Educação dos voluntários do exército sírio nos subúrbios de Damasco

Rússia detecta 18 aviões espiões perto de suas fronteiras em uma semana

O Ministério da Defesa da Rússia informou nesta sexta-feira (20) que 18 aviões de reconhecimento estrangeiros foram detectados perto das fronteiras nacionais da Rússia na semana passada.
Caças russos Su-27
Segundo comunica o jornal das Forças Armadas da Rússia Krasnaya zvezda, aeronaves russas tiveram que realizar manobras de intercepção ou escoltar os aviões estrangeiros.

VÍDEO | Força Aérea Iraquiana Atinge Posição Do ISIS Na Síria Em Coordenação Com Damasco

A força aérea iraquiana diz ter lançado ataques mortais contra as posições do Daesh na Síria, já que ambos os países vizinhos intensificam os esforços para se livrar dos remanescentes do grupo terrorista.

O gabinete do primeiro-ministro Haider al-Abadi anunciou em uma declaração na quinta-feira que as posições do Daesh na Síria foram atacadas pelo lado iraquiano da fronteira.

ASSISTA: Militares Sírios Aniquilam O Estado Islâmico Com Bombardeios De MRLs Perto De Damasco.

As tropas do governo sírio iniciaram uma operação militar para se livrar do bolso do auto-proclamado Estado Islâmico (ISIS) nos subúrbios do sul de Damasco.

O bombardeio aéreo e terrestre está concentrado em vários locais e os esconderijos pertencentes à organização terrorista nos bairros de Hajar Aswad, Al-Yarmouk e Al-Qadam.

Protestos na Grécia e Alemanha contra o bombardeio da Síria



O partido alemão Die Linke foi às ruas de Berlim para protestar contra o bombardeio trilateral da Síria, agitando bandeiras da paz e pedindo o fim da guerra em frente ao Portão de Brandenburgo.

quinta-feira, 19 de abril de 2018

O OCIDENTE E A CRISE DA UCRÂNIA, UMA ANÁLISE RETROPECTIVA.

O pós-Guerra Fria, na Europa, configurou-se como uma dualidade. Por um lado, os Estados Unidos saíram do período da bipolaridade como a única superpotência do globo e viveram um “momentum imperial”, o que se refletiu na estratégia de integração das repúblicas da extinta União Soviética à esfera de influência ocidental (BANDEIRA, 2013, p. 53). Por outro lado, debilitada devido ao esfacelamento da URSS, a Rússia viu os países que anteriormente compunham a esfera de influência soviética se aproximarem e adotarem padrões político-econômicos do Ocidente. Com efeito, instituições ocidentais – notadamente OTAN e União Europeia – avançaram sobre as antigas repúblicas soviéticas.

Diferentemente do pensamento convencional, que atribui a Putin a responsabilidade pela crise, Mearsheimer (2014) argumenta que o Ocidente detém a maior parcela de culpa pelo que ocorreu na Ucrânia.