quarta-feira, 5 de julho de 2017

Por que militantes não podem abater drones russos na Síria?


Drones russos são invisíveis para os militantes jihadistas na Síria, eles não são capazes de abatê-los, disse à Sputnik o vice-premiê russo, Dmitry Rogozin.
Lançamento de um dronte russo durante exercícios
"Vocês viram a imagem transmitida pelo nosso material militar no céu da Síria. Vocês também viram a precisão e estabilidade de nossas câmeras digitais. Isto significa que os drones e o sistema de controle deles, mesmo tendo os militantes as armas mais avançadas, não permitem que estes drones sejam detectados ou abatidos", disse Rogozin.


Ele acrescentou que a Rússia em breve vai recuperar o atraso em relação aos EUA e Israel na área do combate e reconhecimento com drones.

"Pois, não devemos falar de qualquer atraso. Ele foi significativamente reduzido e em breve será eliminado", acrescentou Rogozin.

Falando sobre a experiência obtida pelos produtores de armas russos durante a operação aérea na Síria, Dmitry Rogozin disse que a operação aérea antiterrorista, de que participou a Força Aeroespacial da Rússia, ajudou a revelar todos os pontos fracos do material militar russo e a tomar as medidas necessárias para lidar com esses problemas.
O vice-premiê sublinhou a importância da precisão dos ataques que foi alcançada pelas forças russas. "Simplesmente imaginem o que aconteceria se falhássemos repetidamente os alvos e matássemos lá civis", disse ele.
"Podemos viajar por todo o tipo de exposições e explicar que as nossas armas são boas, mas o melhor critério da avaliação da eficácia de nossas armas é o uso delas em combates reais, o que foi realizado na Síria. O resultado mais notável é o aumento brusco da quantidade de contratos para compra de armas russas", disse Rogozin à Sputnik.
Desde setembro de 2015, a Força Aeroespacial da Rússia está realizando uma operação aérea na Síria contra as posições dos terroristas. A operação está sendo levada a cabo de acordo com o pedido do presidente legitimo da Síria, Bashar Assad.

Nenhum comentário :

Postar um comentário