sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Ideias rápidas sobre Idlib e uns outros negócios, por Andrei Martyanov


 Reminiscence of the Future, Andrei Martyanov (Blog)

Traduzido pelo Coletivo Vila Vudu

Como escrevi em Russia As A Cat, a Rússia continuará na boa vida, em seu próprio ritmo, ignorando monólogos zangados do "mundo democrático" e continuará o rápido extermínio de unicórnios e terroristas humanitários em Idlib. O processo continuava hoje com novos ataques aéreos contra os tais "rebeldes". É sintomático, então, que o Embaixador da Rússia na Síria tenha feito a seguinte declaração à Agência TASS. 
Ofereço adiante a declaração na íntegra e lembro que os altos escalões militares e figuras diplomáticas russas NÃO FAZEM declarações aos gritos. Declarações desse tipo são sempre sancionados de cima para baixo:
DAMASCO, 7 de setembro/TASS/. A Rússia está ajudando a Síria a restaurar e modernizar seu sistema de defesa aérea, o embaixador da Rússia àquele país Alexander Kinshchak disse à TASS na 6ª-feira. 
"Estamos ajudando nossos parceiros sírios a restaurar, modernizar e aumentar a eficiência do sistema integrado de defesa aérea," disse ele quando lhe perguntaram se a Síria estaria bem protegida contra possíveis ataques aéreos vindos das nações ocidentais. "Ainda falta fazer muito, porque tudo está totalmente devastado, mas já se veem alguns resultados" – disse o embaixador. 
No final de abril, o chefe do principal diretorado das Forças Aéreas da Rússia, Sergei Rudskoi, disse que a Síria logo receberia novos sistemas de defesa aérea e prometeu que especialistas russos ajudariam os militares sírios a operar os novos sistemas. Não deu novos detalhes dos sistemas, dizendo só que os sistemas S-125, Osaand Kvadrat, usados pelo exército sírio foram restaurados e modernizados com ajuda dos russos. 
No final de agosto, o Ministério da Defesa da Rússia alertou contra uma possível provocação montada no governorado sírio em Idlib por militantes sob supervisão dos serviços especiais britânicos. Assim, segundo o ministério, militantes estariam planejando um simulacro de uso de armas químicas contra civis por soldados do governo sírio, com o que dariam munição aos EUA, ao Reino Unido e à França para um ataque aéreo contra instalações do governo sírio e de organismos econômicos.
Significa que está ficando cada vez mais claro que a Rússia está em movimento. De fato, as coisas estão aparecendo muito rapidamente à luz do dia. 


Sobre a situação em Donetsk depois do assassinato de Alexandr Zakharchenko, como Andrei Babitsky observou de Donetsk – todos os hotéis mais ou menos decentes em Donetsk estão lotados, ocupados por gente do Serviço Federal de Segurança da Federação Russa, em russo FSB [o serviço que sucedeu a KGB soviética]. Isso, para não falar de outros interessantes desenvolvimentos que ainda têm de ser verificados, mas parece que, sim, Moscou está em rápido movimento e abertamente. É o que explica essa matéria sobre os sistemas Uragan da Rússia, como disse o Ministério da Defesa, sendo dispostos "por prevenção", perto da fronteira russa e das Repúblicas Populares de Lugansk e Donetsk. A mensagem é clara:

Absolutamente não haverá "vitória" com "socorro às vítimas" [orig. There will be no VSU "victory" (?)], sob nenhuma circunstância, e parece que a Rússia está abertamente (antes, ainda havia uma folha de parreira) assumindo o encargo de defender as novas repúblicas, com tudo que isso signifique (ponham a imaginação a funcionar).


Mas o mais engraçado, num bom sentido, é que, enquanto os EUA impõem sanções à Rússia, os mesmos EUA continuam a comprar produtos russos de alta tecnologia, como motores para foguetes e, agora, também aviões. Como a TASS noticiou (em russo), na exposição de Gelendzhik de hidroaviões, as empresas Seaplane Global Air Services, dos EUA, e a Beriev Corp., russa, assinaram contrato para entrega de quatro desses excelentes jatos russos para combate a incêndios, com opção de compra para mais seis. É fato sabido que os EUA, especialmente os estados do sul, sofrem com graves incêndios florestais e os BE-200s são aviões perfeitos para combater esse tipo de fogo. Os aviões já provaram seu valor em Portugal, Grécia, Espanha, Rússia, só para citar uns poucos países onde são usados. [Vídeo: Duas aeronaves Be-200 recolhem água no Rio Ob, durante operação de combate ao fogo nas florestas da região de Tomsk (filmado com fone Samsung Galaxy S3).



blogdoalok



Nenhum comentário :

Postar um comentário