quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Para onde milionários fugiriam em caso de guerra nuclear ou epidemia massiva?


As pessoas mais ricas dos EUA encontraram um refúgio em caso de apocalipse mundial na Nova Zelândia. Devido a sua localização distante, o país da Oceania é o lugar ideal para fugir de uma guerra nuclear ou de uma epidemia massiva, na cabeça dos ricos americanos.
Nova Zelândia


Nos últimos anos, sete empresários norte-americanos do Vale do Silício adquiriram bunkers de 150 toneladas, que foram transportados para a Nova Zelândia e enterrados lá, informa Olivia Carville, colunista da Bloomberg.

Mesmo sendo um lugar remoto, os empresários da costa oeste dos EUA poderiam chegar a seus refúgios em aviões privados e, claro, sem escalas.
O isolamento, antes considerado obstáculo ao desenvolvimento econômico do país, está ativando a economia, assinala a colunista. Assim, estrangeiros podem comprar permissões de residência na Nova Zelândia ao conseguir um visto para investidores.
É necessário gastar 6,7 milhões de dólares (R$ 27,6 milhões) em três anos. Por isso empresários norte-americanos compram em muitas ocasiões mansões, inundando a Nova Zelândia com dinheiro, destaca Carville.
Segundo estimativas, no ano fiscal de 2017 houve 17 solicitações dos EUA para obter visto. A colunista comenta que, depois da eleição de Donald Trump à presidência, o número de solicitações cresceu significativamente.
Gastando milhões de dólares em imóveis neozelandeses para adquirir "a permissão de residência", americanos parecem estar conseguindo o que planejam.
Vale destacar que o governo da Nova Zelândia tomou a decisão, que entra em vigor daqui a alguns meses, de proibir que estrangeiros comprem imóveis no país. O primeiro-ministro neozelandês, John Key, diz que se alguém quiser tem um plano B para o caso de Armagedon, essa pessoa deverá procurar um lugar mais remoto com um ambiente mais seguro.
"Se perguntar Google, dirá que é a Nova Zelândia. É conhecida como a última parada antes da Antártida. Muita gente me disse que queria ter imóvel na Nova Zelândia", comentou o primeiro-ministro.
A colunista encontra a origem desse desejo de se refugiar na cultura norte-americana que começou durante a Guerra Fria, quando crianças eram treinadas a se agachar e se cobrir para se proteger de ataques. Esta guerra gerou cultos religiosos apocalípticos e outras profecias.
"O que diferencia o Vale do Silício é que se divertem com o terror do fim do mundo tendo como pôr em ação os planos elaborados", opina Carville.
Afinal, a Nova Zelândia poderia não ser o lugar idôneo para se refugiar de um possível apocalipse. Segundo Robert Vicino, produtor de bunkers, comprados por milionários, caso um asteroide caia no Pacífico, a ilha seria completamente alagada.

Nenhum comentário :

Postar um comentário